Why Don't We exala evolução em "8 Letters", álbum de estreia da boyband



Why Don’t We, revelação da nova onda de boybands, retorna agora com o tão aguardado álbum debute. 8 Letters carrega uma mistura de ritmos e a sua composição consegue mostrar uma evolução dos meninos, assim como um ritmo ainda mais maduro.

O álbum pode ser encarado como um compilado de contradições. Todas as faixas apresentam apenas um tema em comum: relacionamentos amorosos. Enquanto os aspectos restantes conseguem ser bem distintos.

Podemos escutar baladas eletrônicas animadas que falam de festas e curtição como “Friends”, a única com uma batida mais puxada para o gênero latino e tropical. Como também sentir toda a melancolia envolvida em “Hard”, uma música em que a temática gira em torno do amor não correspondido. É dessa forma em diante que o disco se desenrola.

A terceira faixa “Choose” tem batidas mais animadas, vocais determinados entre outras fortes características que fazem dela um som marcante. Já a sua sucessora “In Too Deep” traz de volta a atmosfera melancólica. Fala sobre o também forte sentimento de estar apaixonado. Algo tão intenso, que pode até se tornar negativo. Trechos como “Don't know what you did to me, I can't breathe but I'm living conseguem ilustrar a ideia.

Os personagens da trama seguem migrando de um clima feliz a um mais intenso até o final do álbum. Porém, ele não é feito apenas de histórias soltas ou narrativas sem continuação. “Falling”, a última faixa, por exemplo, apresenta uma evidente ligação com “8 Letters”, a canção que introduz o trabalh em que os meninos optaram por abrir o livro da insegurança, demonstrando como é difícil falar a frase de 8 letras que nem sequer pronunciam na música, que seria o “I Love You”


Enquanto em “Falling”, eles finalmente admitem os seus sentimentos. Falam abertamente como estão apaixonados, sem medo algum. As suas batidas, que para quem escuta lembra de bandas como The Weeknd, simbolizam outro sinal de amadurecimento. Pela primeira vez, a influência R&B toma conta da faixa, tornando ela um som sensual e intenso, por mais o pop e o eletrônico não deixem de aparecer. É a mais pura evolução, pessoal e musical.

Do começo ao fim, 8 Letters se apresenta como um turbilhão de sentimentos. Os próprios integrantes já admitiram fazer músicas sobre a própria vida de vez em quando. Como falado por Corbyn Besson em entrevista ao MTV sobre a música “Invitation”. Visto que, são todos adolescentes entrando em uma nova fase, o mundo da música é o abrigo para toda confusão dessa idade, inspirando muitos jovens ao redor do mundo também. Por fim, levando em conta a análise do álbum, parece que os cinco amadureceram ao decorrer dele, entregando um álbum longe de ser superficial. Cinco jovens se unem para um estilo autêntico e uma verdade universal.