Shawn Mendes enfrenta sua própria tempestade no clipe de “In My Blood"


Pouco tempo depois do lançamento de “In My Blood”, Shawn Mendes lança clipe para a música e nos surpreende mais uma vez

O cantor Shawn Mendes começou essa nova era com tudo! Seu primeiro single, “In My Blood”, surgiu com uma letra intensa, quase como um pedido de ajuda, um desabafo. Nós tentamos entender um pouco mais sobre esse passo vulnerável e ao mesmo tempo corajoso do cantor e você pode conferir nossa crítica clicando AQUI.

Agora, um mês após o lançamento da música, Shawn Mendes lança clipe de “In My Blood” e retrata de forma muito visual e metafórica sua tempestade particular. No vídeo, o cantor aparece deitado no chão e permanece assim até o final. Apesar de conseguir mexer os braços, o resto do corpo permanece imóvel o tempo todo, como se ele não conseguisse sair do lugar: seja por falta de força ou por falta de vontade. Em um primeiro momento, a câmera mostra vários blocos de cimento caindo ao seu redor, como se o lugar estivesse desmoronando bem em cima dele. O clipe, dividido em fases, tem essa primeira como a mais difícil: os blocos parecem extremamente perigosos, uma vez que o cantor está deitado, completamente vulnerável, sem conseguir sair de lá.  

Depois disso, as paredes sendo destruídas dão lugar a uma nova fase, onde as coisas parecem estar um pouco mais fáceis, porém igualmente perturbadoras: o local começa a ser preenchido com flocos de neve até que, de repente, surge uma tempestade - a chuva forte atinge todo o espaço, inclusive o próprio cantor. Mas, após a tempestade, os tons frios dão lugar a tons mais quentes, trazendo ao clipe um contraste de significados muito bem feito; o sol aparece e, no chão, nota-se a natureza surgindo aos poucos: o verde faz seu próprio caminho, brotando do chão de cimento, e as flores nascem logo depois. Logo, não existe mais cimento, não existem mais tons frios. Todo o espaço vira um gramado florido e mais iluminado.

De uma forma bem simples, Shawn Mendes discute assuntos bem complexos. Em um vídeo que tem um único cenário e que dá a impressão de ter sido gravado em um só take, o cantor aponta seu próprio desespero, insegurança, angústia e, acima de tudo, sua vulnerabilidade, afinal de contas, ele aparece completamente sozinho no clipe – isso porque a música retrata sentimentos que muitas vezes são reprimidos dentro de nós mesmos, em uma intimidade tóxica que deve ser combatida.

Nessa luta de sentir-se preso dentro de sentimentos escuros que inibem nossa capacidade de nos iluminarmos, é importante ressaltar um aspecto importante do clipe: por mais perigosa e fatal que pareceu ser a primeira fase, quando os blocos de cimento caíam bem em cima do cantor, ela foi importante para que as outras fases acontecessem. O “teto” era a única coisa que estava impedindo a chuva e, consequentemente, o nascimento do verde e das flores. Sem que o teto desmoronasse, as coisas jamais iriam mudar e melhorar. Para você que se identifica com o clipe, o cantor parece estar querendo mostrar, desde o começo, que tudo vai ficar bem. 

De um modo sutil e reconfortante, Shawn Mendes nos mostra que as fases são apenas isto: fases. Elas eventualmente acabam e dão lugar a algo melhor. Tanto é que, durante todo o clipe, a nossa vontade é de tirá-lo de lá, de ver o cantor levantar e sair daquele ambiente perigoso. Mas, dentro de nós mesmos, para onde poderíamos correr? E no momento em que as coisas melhoram, não se tem mais a necessidade de sair de onde estamos: no clipe, Shawn Mendes não levantou no final; continuou deitado, mas agora em um ambiente bonito, iluminado, tranquilo. 

Confira o clipe a seguir:



Intenso, hein? O primeiro clipe de sua nova era é tão bom quanto à música em si. Será que a próxima novidade conseguirá superar essa obra de arte?

Ariana Grande constrói conceito em cima de fase difícil para o novo single



Ariana Grande está de volta com o seu single “No Tears Left to Cry”. Após uma fase perturbada de sua vida, como o atentado terrorista ocorrido ao fim de seu show em Manchesterela abre alas para um quarto álbum com uma atmosfera animada e otimista.

Anny Petti prova ser a mais nova revelação pop no EP “Jogo Proibido”


Após seu EP de estreia que deu o que falar, Anny Petti está de volta com seu segundo trabalho, o EP Jogo Proibido, que está sendo lançado em todas as plataformas digitais pela Universal Music.

"Charles", álbum de estreia da banda Daparte, traz muita diversidade e experimentalismo!


Quando você junta cinco músicos, você forma uma banda. Quando você junta cinco músicos E compositores, surge algo ainda mais interessante, como o Daparte, conjunto dos mais inventivos de Belo Horizonte que lança agora seu primeiro trabalho, Charles.

O Wolf Culture é a banda perfeita para você colocar no seu radar pop punk!


O grupo britânico Wolf Culture é, sem dúvidas, o artista para você colocar no seu radar, ainda mais se você é um desses que está acompanhando a nova onda de bandas pop punk, que estão pouco a pouco revivendo o tão amado movimento emo.