Troye Sivan mostra que sabe como aproveitar sua “YOUTH” em novo clipe


Reunindo tudo o que o Tumblr tem de melhor em um vídeo, Troye e seus amigos curtem uma house party bem animada, com muito neon, luzes coloridas, ursos de pelúcia e piercings na língua. Ah, e com um cara especial, também, claro.

Lembro quando Happy Little Pill começou a pipocar na internet lá pelo final de 2014 com um clipe que me deixou bem intrigado. Por já ter tido o Tumblr como segunda casa em uma época não tão distante da minha vida, confesso que criei, sim, uma tendência a gostar bastante da cultura hipster, que por mais caçoada que seja hoje em dia, continua visualmente bem atraente. Não conhecia o australiano antes de assistir ao vídeo de seu primeiro single e corri para mudar esse quadro logo em seguida, justamente por todos os elementos que me chamaram a atenção, musicalmente e esteticamente falando.

O dream pop de seu EP, TRXYE, se mostrou totalmente agradável e passei a acompanhar bastante os passos do cantor. Mas foi somente quando foi lançado seu EP seguinte, WILD, que me vi viciado por todo seu universo musical, que continuou a conversar muito com as artes visuais da qual me interesso tanto. Como um curta-metragem divido em três partes para três ótimas músicas, Troye fez um trabalho muito bonito que conversou diretamente com o público a que também faz parte, o LGBT, ao falar sobre as dificuldades de um relacionamento entre pessoas do mesmo sexo e trouxe muita identificação por parte do mesmo, o que, apesar de ser um movimento crescente, ainda se mostra raro no ramo musical.


Agora, de volta com um novo single para divulgar seu primeiro álbum de estúdio, Blue Neighbourhood, Sivan segue uma linha mais leve e animada no eletro-pop YOUTH, com letras que, segundo ele mesmo, falam sobre aproveitar a juventude e a inocência dessa fase, esquecer os problemas, errar e amar sem pensar nas consequências e sobre como tudo isso é normal e necessário. Foi uma escolha certeira devido ao seu potencial e com certeza pode ajudar a aumentar toda a fanbase que vem construindo nos últimos tempos, da mesma forma que o clipe também ajuda a cumprir essa papel. Com direção de Malia James, tudo aqui passa uma sensação de anestesia, como um desligamente do mundo externo que é intuitivo para se aproveitar somente o que está acontecendo no momento presente e com isso, sentir tudo ao máximo, quase como se a sequência fosse um sonho bom.

As decisões estéticas apresentadas no vídeo de YOUTH definitivamente remetem às utilizadas em Happy Little Pill, principalmente pela predominância das cores rosa e azul e dos jogos de iluminação utilizados o tempo todo e o contraste bem baixo e esfumaçado, ainda que o primeiro seja mais amplo em questão de ambientações, situações e personagens. Personagens esses que inclusive contam com a ilustre presença da nossa eterna e não-mais-tão-pequena Amandla Stenberg, a Rue de “Jogos Vorazes”. E é muito bonito também o modo natural como é explorado o relacionamento entre ele e o garoto loiro com quem se envolve, como se os sexos não importassem em nenhum momento, e sim o sentimento de se sentir bem e a vontade. Um vídeo simples, mas bem trabalhado, principalmente na direção de arte.

Ps: Pra quem gosta de moda, é legal perceber no clipe como as roupas dos jovens de hoje são extremamente influenciadas pelos anos 90. Se me dissessem que o clipe se passava nessa época, eu não iria duvidar em nenhum momento.