Marrakesh: a banda revelação do cenário de música independente!


Não tem nada melhor do que fazer descobertas de novos artistas, ainda mais quando se trata de artistas nacionais. Marrakesh é um grande exemplo disso. Com um som experimental impactante, o grupo curitibano viaja pela psicodelia de bandas como Tame Impala, entregando inovação a cada nova faixa. Essa é, de fato, uma das bandas que você precisa que conhecer!

Modernidade é o que define o trabalho de Marrakesh. A banda vem enriquecendo o cenário nacional com sua combinação autêntica e exótica do indie rock e psicodelia, que dão vida a uma viagem realmente singular e atmosférica para os ouvintes. As composições profundas do grupo já nos conquistaram com o EP Vassiliki, lançado em 2014, porém em abril de 2018, a banda realmente impressionou com seu debute. 

Com o selo da Balaclava Records, o Cold As Kitchen Floor chegou às plataformas de streaming em abril de 2018, marcando um som ainda mais rico e plural do que o primeiro lançamento. A musicalidade completamente inusitada e diversificada do material foi o que nos convenceu de que Marrakesh tem um potencial tremendo de se tornar um dos maiores nomes do indie rock, não só em nível nacional, como global. 


Quer saber mais sobre esse fenômeno da cena alternativa brasileira? Essa é a hora perfeita para conhecer a banda e enaltecer como nunca antes. Vem com a gente: 

O que é Marrakesh?

Formada em 2014, na cidade de Curitiba, a banda é composta por Bruno Tubino (vocal e guitarra), Lucas Cavallin (vocal e guitarra), Volobodo (sintetizadores e guitarra), e Matheus Castella (bateria). Pouco a pouco, o Marrakesh vem se tornando um dos grandes nomes da cena independente, com um som diferentão que mistura um forte indie psicodélico com influências da música R&B e eletrônica. A cada nova faixa, é uma viagem renovadora de reflexão e calmaria. 

Da onde surgiu o nome da banda?

Em uma conversa descontraída e espontânea entre os meninos, “Marrakesh” veio da boca pra fora. O caras curtiram o impacto exótico que o nome causava e resolveram adotar como nome da banda. E, além disso, Marrakesh é uma famosa cidade marroquina e, sendo assim um local tão distante, a adoção do nome ao grupo significa muito. Ela traz consigo a ideia do desafio de ir além, em termos de sonoridade e sucesso artístico. De fato, ir além do esperado é uma característica forte da banda.

Quais são as principais influências do Marrakesh?

Bandas como Warpaint e Unknown Mortal Orchestra fazem parte da essência do Marrakesh. Porém, no álbum de estreia já percebemos a expansão desse som com leves texturas R&B nos moldes James Blake e Frank Ocean de profundidade. Aderir a certas musicalidades fora do seu universo tornaram o som da banda ainda mais enriquecido.

A experiência incrível no Primavera Sound!

Em 2017, após o EP de estreia, Marrakesh teve as portas abertas para tocar no renomado festival de Barcelona, o Primavera Sound. O festival foi um grande responsável pela mudança de rota do grupo. Se o primeiro disco é bem mais focado no indie psicodélico, o segundo disco tomou novas direções a partir do Primavera Sound. Após o evento, a banda returbinou seu som de forma inesperada. Os meninos assistiram alguns shows no festival, como de Solange, Bon Iver e Seu Jorge, e desde lá, eles perceberam que a cena musical hoje em dia está muito mais fluída do que pensavam. Nesse momento, os caras começaram a ouvir mais Hip Hop e R&B, trazendo influências de Frank Ocean e Kanye West para a unidade do disco. Muito legal, né? O resultado disso não poderia ser melhor!


O som exótico do debute Cold As Kitchen Floor!

O álbum de estreia traz uma experiência sonora e estética dificilmente proporcionada na música brasileira. É a combinação perfeita entre a profundidade e inovação. Com muita experimentação, o Marrakesh traz um som atípico e agridoce que certamente vai te marcar. Podemos afirmar que você irá se surpreender com o caminho seguido e com a qualidade entregue. São muitos sentimentos e ideias que colidem em uma arte que traduz, do começo ao fim, a sensibilidade contemporânea. 

Para finalizar, confira o disco e se apaixone com a gente a cada faixa: