Ellie Goulding retorna com "Flux", novo single pop melancólico


Na última sexta-feira (01/3) Ellie Goulding resolveu começar o mês de março com um retorno um pouco diferente. Lançou “Flux” e deixou de lado todas as influências eletrônicas que antes a rodeavam. Como primeiro single de seu quarto álbum de estúdio, ela volta com sons angelicais e melancólicos.

Mesmo permanecendo no pop, conseguimos sentir grandes diferenças entre “Flux” e as faixas em que costumávamos ouvir os tão característicos vocais da cantora. Em sua melodia, é difícil ouvir algo além do piano e dos violinos. Por conta deles, a atmosfera se torna triste e suave ao mesmo tempo. Os sons eletrônicos, por sua vez, quase não aparecem, muito diferente de sucessos de Delirium, como “On My Mind” ou “Something in The Way You Move”.

Devemos também levar em conta que se passou um grande tempo entre as produções. O último álbum foi lançado em 2015 e até então, não ouvíamos sobre a artista, a não ser por suas parcerias com DJ’s como Clean Bandit (“MAMA”) e Diplo (“Close to Me”) que foram divulgadas no ano passado. Sendo elas ainda no estilo antes utilizado por Goulding.


Aqui não tratamos de uma faixa com misturas ou agitação, mas sim algo de aspecto mais angelical e dramático, mais próximo da vulnerabilidade entregue em grande parte do disco Halcyon. Muito sentimento é evidenciado pelos coros feitos da voz da própria cantora e pela mensagem que passa. Ao invés de um break up song agressivo, o clima é de arrependimento e despedida. De acordo com uma entrevista sobre um single para o The Guardian seria “sobre uma pessoa com quem você quase deu certo”. Um amor passado que você não consegue se desprender. “When the memories pack up and leave, it will set me free”.

O videoclipe da música foi lançado no mesmo dia. Ele é de produção simples, também muito diferente daqueles que ela participou com os DJ’s, mas consegue refletir o clima obscuro da melodia. Utiliza apenas o preto e o branco, mecanismos como chuva e os olhos fechados de Ellie Goulding como meios dramáticos. As imagens dela de costas e dançando de olhos fechados dão até um aspecto sensual que antes não havia.

Depois de um tempo sozinha, como contado também para o The Guardian, ela parece aproveitar a situação para criar algo novo. "Flux" tem tudo para ser um break up song de sucesso se levarmos em conta a nova onda de hits melancólicos, como é o caso de “Shallow”. A sua letra é, além de tudo, poética, mas não deixa de lado o refrão repetitivo. Levando tudo em conta, nessa nova era já podemos esperar por um clima mais triste e dramático.