A vacina chegou, e agora? Como ficam os shows? Vão adiar? Vão cancelar? Vão acontecer?



ELA VEIOOOO! Demorou, mas uma vacina contra a covid-19 finalmente foi aprovada, ainda que em caráter emergencial, pela Anvisa. Mais emocionante que a apuração de Escola de Samba, o resultado da votação trouxe uma esperança para os amantes da música, e a pergunta que não quer calar é: Quando os nossos queridos shows e festivais vão voltar?

Sendo curta e grossa: não tem como saber. A verdade é que tudo depende da quantidade de pessoas vacinadas, e considerando que a grande aposta, CoronaVac, tem 50,4% de eficácia, é necessário um número maior de pessoas para uma boa cobertura de imunização. Além disso, a segunda onda do vírus veio de forma destrutiva, então a perspectiva de melhora ainda deve demorar um pouco. E olhando para a vacinação em si, é preciso lembrar que uma parte dos grupos prioritários sequer é público-alvo de eventos musicais, ou seja, quem tem pique de encarar um Lolla ou uma pista premium está no final da lista de prioridades.

Acredito que o principal problema seja que nós estamos de mãos atadas, afinal não é como se pudéssemos fazer mais do que já fizemos. As medidas de isolamento social estão cada vez menos sendo respeitadas, e aglomerações impulsionaram o colapso em muitos lugares, principalmente em Manaus. As vacinas chegaram, porém ainda em pouca quantidade, e a obtenção de insumos que nos ajudaria foi fracassada (infelizmente, nosso “querido” presidente não colabora). Então, o papel que nos resta é o de pressionar o governo por medidas mais eficazes, enquanto lavamos as mãos e mantemos o isolamento, é claro. Mas não é para isso que estamos aqui, e sim para analisar as chances dos shows planejados para 2020 serem realizados em 2021/2022.


Tendo feito apenas três shows da “Where Do We Go? World Tour”, Billie Eilish se viu obrigada a adiar toda a turnê por causa da pandemia de coronavírus. Posteriormente ela acabou cancelando todos os shows, incluindo as datas em São Paulo e Rio de Janeiro, e garantiu que todos que adquiriram ingressos tivessem 100% de reembolso (tickets for fun por que choras?). A boa notícia é que o documentário “Billie Eilish: The World’s A Little Blurry” já chega no dia 26 de fevereiro na plataforma Apple TV+. Além disso, a cantora já confirmou que está trabalhando em novas músicas e está muito animada com os resultados. Então, considerando que o Brasil já estava na rota da turnê interrompida, é quase certeza que uma turnê dupla vai passar por terras brasileiras.

Depois de muito tempo de espera para os swifties brasileiros, finalmente Taylor Swift confirmou que estaria trazendo, pela primeira vez, a sua turnê para o país. Porém, tudo que é bom dura pouco. Com shows solo e em festivais durante os meses de junho, julho e agosto, o projeto em suporte ao álbum Lover foi adiado, no caso de festivais, cancelado, por tempo indeterminado. A parte boa é que durante o isolamento Taylor lançou folklore e evermore, álbuns aclamadíssimos e que colocaram a cantora num novo patamar de excelência. 

E é aí que mora a principal dúvida de muitos: Como vai ser a turnê? Qual vai ser o conceito? E a setlist? Será que algum clássico vai ter que ficar de fora?

Apelidada pelos fãs de folklovermore tour, ainda não se sabe a identidade visual do projeto ou quando ele vai acontecer, mas considerando a existência de queridinhas como “exile” e “champagne problems”, é improvável que a cantora vá ignorar seu trabalho indie folk para priorizar o pop de Lover. Falando em datas, segundo o jornalista José Norberto Flesch, a cantora pretende reagendar o show para o final do primeiro semestre de 2021, uma data um tanto quanto arriscada, principalmente levando em consideração que as doses de vacina ainda são escassas. Dito isso, se Taylor Swift não mudar a possível data, é bem provável que o show seja cancelado.

[ATUALIZAÇÃO 26/02] Por meio de nota, a cantora anunciou o cancelamento de todos os shows planejados para a turnê de apoio ao álbum Lover. O valor do ingresso será revertido em crédito para outros eventos realizados pela Tickets For Fun, e tem validade de 1 ano a partir do fim do estado de calamidade pública.  




Nas palavras do nosso querido redator Gustavo “Harry Styles finge de morto”, e mentindo ele não está, afinal após adiar a Love on Tour algumas vezes, a última sendo o adiamento da perna Europeia, Harry deixou claro que estaria adiando o projeto até que o momento fosse seguro para todos. Ou seja, sem data ou expectativa clara de quando vai ser. Os shows no Rio e em São Paulo estão inclusos no pacote e, considerando a cautela da equipe do cantor, têm boas chances de a turnê ser adiada para 2022, o que pode nos beneficiar, já que estamos bem atrasados no quesito vacinação.

Anteriormente previsto para maio de 2020, Louis Tomlinson remarcou seus shows no Brasil (São Paulo e Rio de Janeiro) para maio de 2021, porém a data também se mostrou inviável e a sua equipe já anunciou que a “Louis Tomlinson World Tour” vai ganhar novas datas em breve. O lado bom é que o anúncio mostra que não há indícios de a turnê ser cancelada, então, mesmo que demore, é bem provável que o ex one-direction venha para terras brasileiras.




Anunciado pouco antes da pandemia estourar no Brasil, as Pussycat Dolls sequer chegaram a vender ingressos para a turnê “Unfinished Business”, prevista para junho de 2020. Com passagens agendadas para São Paulo, Uberlândia e Ribeirão Preto, os shows foram adiados primeiramente em um ano, ou seja, junho de 2021. Porém, segundo o Flesch, a girlband não pretende vir ao país este ano, então é provável que os shows sejam adiados para 2022. Tudo isso é uma pena, já que burburinhos apontavam que o plano inicial era performar na Parada do Orgulho LGBT, e ainda lançar um remix de “React” com Pabllo Vittar.




Com 7 passagens confirmadas pelo Brasil, a banda McFly já foi obrigada a adiar sua turnê duas vezes, de março de 2020 para setembro de 2020, e de setembro para junho de 2021. E tudo indica que eles vão adiar novamente a tão esperada turnê de retorno, afinal é impossível atingir uma grande imunização em apenas 5 meses. A outra saída é cancelar o projeto, então vamos torcer pela primeira opção.




Tido por muitos como o melhor line up em muitos anos de festival, o Lollapalooza já mudou de data duas vezes, de março de 2020 para dezembro, e depois de dezembro para setembro de 2021. No momento do anúncio, a nova data parecia mais prudente e realista, porém com o passar dos meses, a escolha parece cada vez mais impossível de acontecer. O atraso na vacinação e a escassez de doses deixam o nosso querido Lolla muito distante de acontecer em 2021, principalmente se levarmos em conta o público gigantesco que ele atrai. Ainda não se sabe se os organizadores pretendem adiar, mais uma vez, ou cancelar e recomeçar, a única certeza que temos é que o reembolso em dinheiro não vai rolar. 

[ATUALIZAÇÃO 25/02] Segundo o jornalista Flesch, o festival foi adiado novamente, e dessa vez para março/abril de 2022. Além disso, a banda Guns 'n' Roses desistiu de participar do lineup.




Quem achou que o Rock in Rio estaria a salvo porque só acontece em ano ímpar, achou errado! Com alguns headliners confirmados e abertura de vendas prevista para março, o festival também corre grande risco de ser adiado, e pelos mesmos motivos que o seu primo indie. A expectativa por um público gigantesco, e de diversas regiões do país e do mundo, faz com que seja quase impossível de ser realizado ainda em 2021. Segundo o jornalista Flesch, a organização já planeja adiar o festival para novembro/dezembro, mas um anúncio oficial ainda não foi feito, e mesmo assim, ouso dizer que esse possível adiamento não vai salvar o festival de precisar encontrar uma outra nova data.

Nenhum comentário:

Postar um comentário