Itaipava De Som a Sol

Respire e relaxe com uma playlist que é um calmante indie


Não há nada melhor que procurar um momento do dia para relaxar, não é mesmo? E para um momento desses ficar ainda melhor, é necessário escolher o melhor tipo de música. Que tal uma playlist aconchegante que faça você sentir o melhor do dia?!

Depois de um dia cansativo, tudo que mais precisamos é de um bom banho e aquele descanso especial. Porém, a música nunca foge até mesmo nestes momentos. Muitos trabalham, estudam ou até dormem ouvindo músicas. Outros já gostam de identificar músicas com seus bons momentos, algumas lembranças. Há também aqueles que apreciam a beleza da juventude selvagem dentro de boas melodias. Então, para moldar toda essa atmosfera, nada mais bem preparado que uma playlist de músicas indie que se encaixa perfeitamente a tudo isso.

A primeira faixa (Youth) é da banda inglesa de indie folk, Daughter. A música, que está presente no segundo EP da banda (The Wild Youth EP), conta com a suave voz da Elena Tonra, instrumentos bem tradicionais, mas que marcam bastante a evolução da música. A letra, apesar de ser atual, pode ser associada a conteúdos históricos, como as revoluções culturais. Sendo então, a música de abertura da playlist destacando a juventude selvagem.


A segunda conta com um cover da música Ship To Wreck (Florence and The Machine) pela banda indie The Beach. A voz que passa do suave ao marcante, acompanha perfeitamente o violão e a bateria que radicalizam a música. Particularmente, considero que este cover foi capaz de superar a música original.

A terceira traz o rock indie da banda inglesa Mumford & Sons. Wilder Mind tem sua letra inspiradora misturada aos marcantes instrumentos em sintonia com a voz grave do Marcus Mumford. Certamente uma música que traz outro sentido acrescido a juventude selvagem.

Seguindo o padrão de “músicas rebeldes”, encaixa-se Be There do Seafret, uma dupla europeia que faz espetáculos mesmo com suas melancólicas letras, que se rebelam durante os sons.

Em seguida, diferenciando a playlist, acompanha a música Still Wild de La Mar. A banda australiana faz uma mistura de música  originalmente experimental com um pouco do indie numa batida de R&B sensacional.

A sexta faixa é da banda neozelandesa de indie e eletro pop Broods, que traz a envolvente música Bridges. Ela traz a delicada voz de Georgia Nott inclusa na tocante letra dentro da batida pop eletrônica.

Logo após, The Neighbourhood (banda californiana, EUA) marca presença com seu indie rock na fantástica e viciante música Sweater Weather. Com a letra envolvente, batidas conquistadoras e o doce agudo da voz do vocalista Jesse Rutherford. Uma vez ouvindo essa música é certo que nunca mais a esquecerá e você ficará hipnotizado, o que traz ainda mais curiosidade sobre as outras músicas da banda (que são boas no mesmo sentido!).

Puxando ao indie folk aparece a banda islandesa Of Monsters and Men que, por sinal, marcaram a incrível presença no Lollapalooza deste ano. Apegando-se aos elementos naturais em sua letra, está Empire, a viciante canção que mostra o combinar das vozes entre Nanna e Raggi.

A penúltima música é da banda britânica de indie rock Arctic Monkeys. Novamente percebemos a juventude selvagem transparecer com Fluorescent Adolescent, na letra rebelde com o acompanhamento do interessante som da guitarra.

Para finalizar com um contraste, a playlist traz a banda indie Americana On An On, com a música Drifting.  Um som totalmente relaxante com a letra inspiradora auxiliada da suave voz grave do Nate Eiesland. O  violão gera a calmaria e junta-se a melancolia da música e, posteriormente, ao progresso da música, que se torna ainda melhor e viciante. Formando então, um desfecho perfeito para a playlist.