Itaipava De Som a Sol

Lançamentos da Semana (29/10/2016)


Essa semana foi bem recheada de lançamentos, portanto não poderíamos deixar de fora alguns que nos atraíram. Teve de tudo, englobando artistas emergentes – como Bebe Rexha e Dua Lipa –, artistas desconhecidos – como St. South e Great Good Fine Ok – e até artistas com quais já estamos mais familiarizados – como DNCE, Alicia Keys e Alessia Cara. Vale a pena conferir e se impressionar com os nossos artistas que se entregam de corpo e alma, e que nunca falham na em nos surpreender. Venha nessa com a gente!

St. South – Lover (por Jhonatan Oliveira)


Para esta semana, a cantora do projeto reservou uma intensa composição em seu estilo electronic soul. Abusando da sensualidade, o ritmo traz belas sensações e agrada facilmente os bons ouvidos. A letra é um tanto intensa, suavisada pelo encanto da voz de Olivia Gavranich, que compôs com gosto uma canção envolvente e viciante. Dessa vez ela deixou os elementos eletrônicos tomarem maior posição que o soul, o que, definitivamente, não mudou a percepção de uma grande qualidade musical da talentosa australiana.

Bebe Rexha – I Got You (por Gabriel Bonani)



Você provavelmente deve conhecer Bebe Rexha por ser a voz que deu vida à famosa faixa de Martin Garrix, “In The Name Of Love”, mas agora a cantora está com single novo preparando seu primeiro álbum de estreia, que promete colocar todos pra dançar ao som pop animador dela. Falar que a faixa é ruim seria um grande erro, já que a mesma superou muitos singles de retorno de divas pop, na minha opinião. É farofa sim, mas é bem comercial e contagiante, do tipo que poderia tocar na rádio a todo momento que eu ainda não me enjoaria.

Sem dúvidas, vejo um futuro muito brilhante para essas novas representantes do pop, como Bebe Rexha e Zara Larsson, que vem conquistando cada vez mais público. É apenas uma questão de tempo para elas estarem sendo chamadas de novas princesas do pop, ou coisas do gênero, pela mídia mundo afora. 

Dua Lipa – Room For 2 (por Gabriel Bonani)                



Dua Lipa é mais uma jovem artista que vem cativando cada vez mais pessoas por onde passa, numa linha pop, porém com uma pegada mais alternativa. Se você, como eu, vem acompanhando a cantora crescendo e lançando um single atrás de outro, você deve estar acostumado a dançar com as músicas animadas dela, porém com “Room For 2” a pegada é um pouco diferente. Foi aí que me surpreendi com a versatilidade da cantora.

“Room For 2” segue uma constante delirante e fúnebre que eu nunca imaginava acontecer com Dua Lipa. A letra é bem forte e a cantora passa uma amargura, coerente ao eu lírico, do começo ao fim. É como se tivesse rolado um apocalipse num término de relacionamento e agora, cansada, a cantora se encontra cantando, quase com o coração congelado. É meio dark, meio triste e bem impactante. Dua Lipa realmente está de parabéns, por mostrar que ela não é só mais um rostinho bonito cantando músicas felizes e dançantes de balada. Me arrepiei e me surpreendi muito com “Room For 2”.

Andrew Belle – You (por Jhonatan Oliveira)


Abusando de seu soft rock, o cantor norte-americano apresenta a sua nova música “You”. Em um jogo de palavras, ele conduz uma letra bem curta, mas um tanto quanto realista para nos fazer refletir (“Quem vê o que eu vejo?”/”A vida é um jogo, mas é difícil de jogar”). Sua voz puxa para o grave junto ao instrumental, tornando a música tocante e forte. O que podemos esperar de Andrew Belle a partir de sua nova era? Espero que tenhamos um novo álbum recheado de um ótimo conteúdo nesta base eletro e soft rock.

Alicia Keys – Holy War (por Jhonatan Oliveira)


A cantora norte-americana desta vez decidiu chegar com tudo nesta nova música. Utilizando do seu R&B/soul ela traz uma crítica feroz em sua inteligente letra, a qual mostra o tempo gasto em criações de preconceitos e guerras enquanto poderíamos simplesmente amar uns aos outros. O ritmo apresenta calmaria, mas a bela voz não esconde que o potencial da cantora permanece! Alicia anuncia “Holy War” como faixa integrante de seu novo álbum Here, com lançamento mascado para o próximo dia 11 de novembro.

DNCE – Blown (por Jhonatan Oliveira)


O grupo americano tem obtido crescente sucesso ao redor do mundo e, nesta semana, o novo som “Blown” veio provar a loucura desses caras. O dance pop desta vez sobressaiu e trouxe uma letra que me fez lembrar artistas como Maroon 5 e 3OH!3 (quase resgatando uma “My First Kiss”). O ritmo dançante torna a música ainda mais agradável e contagiante. DNCE pretende ainda mais sucesso em seus novos lançamentos. Vamos então esperar o que há por vir!

Emeli Sandé – Breathing Underwater (por Gabriel Bonani)



Emeli Sandé tem uma voz de deixar todo mundo de queixo caído. É uma pena que as pessoas, pelo menos no Brasil, não conheçam tanto ela, porque ela tem um talento fora do normal. Seguindo essa pegada mais lenta e romântica, a emoção é sempre um elemento muito presente nas canções da cantora e, como era de se imaginar, para “Breathing Underwater”, a coisa não foi diferente.

Dos pés à cabeça, a música é MARAVILHOSAMENTE inspiradora, do tipo que te faz sorrir sem parar e começar a amar a vida intensamente. Pode parecer arriscado afirmar isso, mas é algo semelhante com as músicas grandiosas do Rei Leão, como “The Circle Of Life”. “Breathing Underwater” é como uma brisa do fim da tarde, acompanhada de um bonito pôr do sol, que nos faz perceber o quanto a vida é bonita por si só. Depois de você ouvir, você vai se sentir leve e guiado somente pela positividade. Recomendo para todos os públicos.

Highly Suspect – Little One (por Gabriel Bonani)



Highly Suspect é uma banda de rock que eu realmente amo muito e que, sinceramente, acho muito que deveria ser mais conhecida. Eles já haviam me conquistado com o álbum de estreia explosivo, o Mister Asylum, que rendeu até duas indicações ao Grammy do ano passado – sim, eles não são fracos não. Agora, eles estão lançando material para o segundo álbum, do qual a comovente recém lançada “Little One” faz parte.

Tudo dessa música foi bem feito. Em primeiro lugar, a letra de “Little One” é realmente impecável, natural e pura, do tipo que ilumina e busca reflexões submersas e inconscientes que nem a gente havia elaborado ainda, pois ela é simples e real, e isso basta. Os instrumentos sabem fazer o crescente na hora certa, com um caráter quase de rock progressivo, mas com delicadeza pra manter a coerência do todo. Além disso, a voz do Johnny Stevens me fascina de uma tal forma que eu não consigo colocar em palavras. Tudo isso entrou em harmonia em “Little One” e efervesceu meu corpo por dentro. Highly Suspect fez mais uma música épica e dessa vez, eles trouxeram tamanha magnitude que me lembrou até o Nirvana – sim, para mim está nesse nível de bom. Estão de parabéns!

Alessia Cara – How Far I’ll Go (por Gabriel Bonani)



Alessia Cara não poderia ter aparecido em um momento melhor. Com uma voz e personalidade doce, a cantora vem tomando conta do indie pop, na mesma linha que Troye Sivan faz. Ela vem ganhando cada vez mais conhecimento, conquistando cada vez mais etapas em sua carreira e dessa vez, diferente de tudo, provavelmente a jovem vai cair na boca do público infantil. Isso mesmo! Alessia Cara será a voz da música de divulgação do novo longa metragem da Disney, Moana.

“How Far I’ll Go” tem uma pegada bem suave, mágica e refrescante. Também tem sua letra fiel ao roteiro do filme. A voz doce da cantora se encaixou muito bem na música, mais do que eu pensava aliás. Não sei se fará o mesmo sucesso que “Let It Go”, mas eu imagino que a faixa irá ser bem recebida pelo público em geral, porque depois de uma ou duas vezes, o refrão fica na cabeça como chiclete. Estou realmente ansioso pra acompanhar “How Far I’ll Go” crescendo sem parar. 

Great Good Fine Ok – Get Away (por Jhonatan Oliveira)



O duo norte-americano vem mostrado grande potencial musical em seu ritmo electro pop. Em “Get Away”, faixa integrante do EP “III” (lançamento marcado para o dia 6 de janeiro) o ritmo é contagiante e dançante. A letra é um tanto quanto inspiradora e trata sobre encontrar o “eu” e a felicidade, ainda que isso seja doloroso. É de se esperar outras grandes músicas neste novo EP, o que indica que Great Good Fine Ok vem realmente para nos fazer bem!