FLETCHER é uma artista pronta que só precisa ser descoberta


Agora com 23 anos de idade, a cantora se preparou a vida toda para o mercado da música. Sem dúvidas, FLETCHER é aquela artista pela qual você vai se apaixonar logo na primeira vez que for ouvir seu material. Ela está pronta para ser a nova queridinha do pop, assim como Dua Lipa está sendo!

Nascida em New Jersey, Cari Fletcher, desde os três anos de idade, tem música como sua paixão e já nessa época, ela cantarolava pela casa. Já com cinco anos, ela começou a praticar suas técnicas vocais e aperfeiçoar sua performance artística com o passar dos anos. Quando jovem, a cantora foi melhorando e agregando cada vez mais talento à sua bagagem musical, passando por aulas de dança, piano, guitarra, bateria e até de flauta. Não demorou muito para Cari Fletcher se transformar em uma artista completa. E já muito nova, ela foi conseguindo mostrar um pouco disso, se apresentando em festas de aniversários infantis como cover de Hannah Montana (loucura, né?). Isso é uma das coisas pelas quais a cantora se envergonha hoje em dia, mas de certa forma, isso a ajudou muito a desenvolver sua presença de palco e a deixar ainda mais familiarizada com técnicas performáticas.

Tudo ficou mais profissional quando, aos 17 anos, foi tentar a sorte na primeira temporada da versão americana do X Factor, em 2011. Em sua audição, se apresentando para Simon Cowell, Nicole Scherzinger, Paula Abdul e LA Reid, Cari impressionou a plateia e os jurados com seus vocais em uma versão de “Alone”, do Heart. Porém, Simon Cowell, com sua fama de chato, foi o único que não gostou, comentando que a apresentação foi chata e nada memorável. Todo seu esforço para chegar onde está agora prova ao contrário. Cari Fletcher veio pra ficar.


Mesmo assim, a cantora permaneceu na competição e foi colocada em um girlgroup chamado Lakoda Rayne com mais outras três meninas. O quarteto não era nenhum Little Mix ou Fifth Harmony, portanto não tinha o favoritismo do público, o que levou com que as elas terminassem em nono lugar na competição, o que não é muito bom para o programa. Juntas, elas até lançaram um single em 2012, mas o grupo não durou muito e terminou em 2014.

Nesse período entre o lançamento do single até o pronunciamento oficial em 2014, Cari Fletcher não perdeu tempo. O seu espírito proativo à favor da música só estava começando a florescer. Ela aproveitou e se matriculou em um curso de music business na Clive Davis Institute, em Nova York, onde ela estudou por um ano, se aprofundando muito além da música em si e aprendendo agora sobre todo o universo em sua volta. Assim, a jovem ficou expert em produção, composição, marketing e branding na área da música.

A garota ficou tão inspirada ao se achar nos estudos de música que, após um ano, em 2015, lançou sua nova marca no mundo pop, intitulada FLETCHER. E foi com esse nome que a cantora teve seu debute com a música “War Paint”, onde ela conseguiu se encontrar em um pop diferenciado. A cantora teve um material de estreia digno de uma diva veterana da indústria, trazendo percussões estrondosas para a sua produção tão empoderada, que leva os ouvintes a baterem os pés e a cantarem junto de forma natural.


Com a temática de autoaceitação, FLETCHER comandou a música de um jeito apaixonado e grandioso, com um refrão de grande magnitude que põe em cheque todo aquele julgamento que ela teve de Simon Cowell em sua audição para o X Factor. Esse novo posicionamento da cantora marca um pop de atitude, muito em ascensão no mercado como proposta ideológica, Porém o que a jovem traz de novo é que ela transmite toda essa personalidade forte através de sua musicalidade também, com instrumentos bem marcantes e estruturados. É uma grande mistura de Sara Bareilles com Sia e do pop refrescante feito por Dua Lipa, Zara Larsson, entre outras. E isso também é visto no seu EP, Finding Fletcher, lançado em setembro de 2016 com letras poderosas e instrumentais explosivos e envolventes.


Atualmente, mais experiente do que nunca, depois de ter voltado e concluído a faculdade, Cari Fletcher já até estagiou na Atom Factory em Los Angeles, para onde ela se mudou no último ano, e lá ela já acompanhou o gerenciamento de grandes artistas como Lady Gaga, Meghan Trainor e Lindsey Stirling, onde ela pode ter um gostinho muito mais especializado do mercado para poder espelhar em sua própria carreira. Agora, em 2017, FLETCHER está de volta com a refrescante “You Should Talk”, onde a cantora se apresenta de forma ainda mais repaginada e profissional, experimentando dessa vez um R&B alternativo e os vocais doces de sempre, mas agora estruturados sobre as composições de K.Nita (Drake, Kanye West) e Delacey, renomados compositores de Hollywood. Tudo indica que FLETCHER veio pra ficar e 2018 será o seu ano!

Já que está por aqui, aproveita para ouvir o seu EP na íntegra: