Sigrid se entrega de corpo e alma no recém-lançado EP "Raw"


Após o sucesso de “Don’t Kill My Vibe”, a norueguesa Sigrid acaba de lançar “Schedules”, última faixa que integra seu mais novo EP, intitulado Raw. E, como o próprio nome diz, o trabalho exalta a essência bela e simples da cantora, através de letras impactantes e afetivas.

Nos últimos meses, Sigrid vem liberando, de pouco em pouco, as faixas que deram luz ao EP Raw, que acaba de se completar com a última faixa, “Schedules”. O lançamento é mais uma grande prova do porquê a jovem vem ganhando tanta atenção atenção nos últimos meses, aparecendo no lineup de diversos festivais e sendo nomeada como uma das grandes revelações de 2017 e 2018.

Assim como o primeiro EP, Raw traz Sigrid apontando o dedo paras as pessoas superficiais que a julgam ou se acham superiores. Mesmo com a mesma temática, Sigrid aparece agora com uma sonoridade ainda mais consistente, que expõe um pouco mais do seu lado genuíno que havia deixado rastros em “Dynamite”. O material é, portanto, um equilíbrio perfeito entre melodias bem construídas e letras sinceras, que se embalam em um som pop bem suave e fluído.


“Raw”, a faixa que dá título ao EP, já introduz a linha que o material vai seguir: minimalista e pura. Enquanto Sigrid canta sobre não querer grandes exageros em sua volta, se mantendo fiel à sua essência; a canção chama atenção por sua simplicidade e leveza, algo não muito comum na música pop atual.

O momento mais genuíno, portanto, fica por conta de “I Don’t Want To Know”. A faixa traz um piano e violino que se encontram com o tom angelical da norueguesa em uma atmosfera mágica que facilmente penetra em nossos corações. Com uma letra fácil de se identificar, Sigrid canta sobre um coração partido na adolescência, narrando alguém que a deixou por outra pessoa.  A música parece florescer ainda mais a cada segundo.

Assim como uma prima não tão distante de “Don’t Kill My Vibe”, “High Five” traz um pouco de animação para o lançamento, em um flow dançante acompanhado de uma produção de se tirar o chapéu. Seguindo a proposta do EP, Sigrid critica as relações superficiais dos tempos atuais, porém esbanjando muita atitude, assim como seus últimos lançamentos.


Em contraponto com a anterior, “Focus” expõe o lado vulnerável de Sigrid de um jeito delicado e cru como nunca havíamos visto antes em uma versão demo que deixa tudo mais puro ainda. Acompanhada de um piano emocionante, a cantora usa suas inseguranças para nos apresentar um amor difícil de se superar. Tudo dessa música é incrivelmente genuíno, desde a letra honesta até o tom singular da cantora. É possível se conectar com cada tecla de piano e cada palavra cantada. Realmente inspirador.

Ao fim, depois de uma bela viagem pelos mais profundos sentimentos e reflexões da norueguesa, agora o EP é encerrado em clima dançante e despretensioso de  “Schedules”. Após tantas dúvidas e dores, Sigrid deixa claro que a solução é seguir em frente e apostar na autoconfiança. Com uma produção excelente, a faixa encerra o projeto com chave de ouro, nos dando vontade de jogar tudo pra cima e aproveitar a vida.

Com o EP Raw, Sigrid confirmou seu talento e sua versatilidade artística como nunca antes, se entregando de corpo e alma a cada faixa, sempre de um jeito doce e muito autêntico. Todo mundo já passou por rejeição, inseguranças ou revoltas com o mundo superficial de hoje em dia. O EP funciona como um grande abraço, onde Sigrid joga verdades que todos precisam ouvir e traduz um sentimento coletivo da forma mais cativante e encantadora possível. Está de parabéns, Sigrid!