Gavin James marca um retorno impecável com seu novo álbum



Suave, encantador e hipnotizante. Gavin James traz uma onda de inspiração em seu segundo álbum de estúdio: One Ticket Home. Em um jogo lírico puramente caprichado para combinar com seu estilo acústico, o cantor retorna com um trabalho cheio de energia.

É possível que você já conheça o cantor por "Nervous", música do álbum anterior - Bitter Pill. Um single que carrega um pop acústico e ficou famoso mundialmente. No Brasil, repercutiu em novela - o que trouxe o cantor para conhecer o país e tudo! Teve shows nas capitais carioca e paulista e, inclusive, cedeu uma entrevista com a gente sobre a passagem dele pelo Brasil! Você pode conferir ela aqui.

Seu álbum anterior marcou seu estilo definitivamente. Gavin se apegou às baladas românticas acústicas. É daqueles que nos remete um pouco do início da carreira de Ed Sheeran, ou outros artistas como James Blunt e Michael Bublé. A mistura leve de suas poesias românticas com os acústicos muito que "progressivos" durante as canções. 

One Ticket Home não tem nenhuma drástica diferença do Bitter Pill em questões sonoras, mas consegue ser ainda mais encantador de algum jeito. Mesmo não trocando de estilo ou experimentando qualquer coisa diferente e muito nova, ele conseguiu evoluir na medida certa. O álbum é recheado de uma energia suave que paira sobre cada faixa. É como se pudéssemos sentir toda a leveza que ele quis passar com cada segundo de músicas. 


Tudo se inicia com duas enérgicas canções: "Start Again" e "Glow", com pegadas um pouco menos acústicas e mais pop/eletrônico. Ambas que começam serenas e, de repente todos os encantos da música surgem. São ótimos novos começos para um novo álbum iniciar já cativante. 

Depois dessas, é a vez de "Always", possivelmente uma das melhores do álbum junto a "The Middle". Sendo "Always" tendo uma melodia de piano mais intensa, que parece trazer todo um drama à canção na medida exata. Enquanto "The Middle" conta com uma voz contagiante e piano e violão bem alinhados, o que transforma toda a música em uma grande harmonia. 


"Faces", "Hearts On Fire" definitivamente são faixas que merecem destaque também. Todas são incrivelmente e simplesmente impecáveis em tudo. Toda a junção de timbre e tons é maravilhosa. São evolutivas, bem daquele estilo soft que te surpreende logo no refrão. 

"Cigarette Break", "Strangers" e "Tired" têm a pegada mais melancólica justamente pelo acústico do violão e guitarra se juntarem à leveza do piano. Com letras bem do jeitinho de Gavin, um pouco tristes, um pouco românticas, mas sempre com o amor tomando a frente.

"Only Ticket Home" é a faixa que dá nome ao álbum. Uma música impressionantemente emotiva, com um coro que nos surpreende de repente. É de tirar arrepios e querer te fazer escutar diversar vezes para sentir a energia novamente. Também uma das melhores do álbum, com certeza!


Para não falta a 100% acústica, Gavin traz "Put You Back Together" que marca a presença do violão com a sua voz, fazendo a dupla de sempre. Assim como "Last Year" traz o piano como principal instrumento e faz dessa uma das músicas mais emocionantes do álbum.

Sobre cativar e encantar, com certeza Gavin James entende. Ele não perde no instrumental, muito menos na voz. Com um trabalho perfeitamente caprichado, ele pode até receber prêmios por esse álbum que eu estarei aqui para aplaudir e me emocionar junto. Doce, impecável e emocionante - são outras três palavras para definir todo o gosto que One Ticket Home nos traz. O que podemos esperar é bastante sucesso e um retorno do cantor aqui no Brasil para os encantos em pessoa!