Dido prova ser uma grande figura power pop no álbum "Still On My Mind"

Após cinco anos sem nenhum disco, a cantora Dido está de volta com seu mais novo álbum Still On My Mind, que explora todas as cores da cantora de forma surpreendente.

Como de costume, o disco surgiu em mais uma parceria com seu irmão Rollo Armstrong, que já colaborou com Dido em seus quatro últimos álbuns. Gravado na Inglaterra, o álbum realmente mostra que a química entre os dois flui de uma forma muito natural, nos levando a lugares inusitados e diferentes durante todo o disco, como uma verdadeira viagem de sentimentos, que fluem aos poucos de forma contagiante.

O novo disco traz a singularidade e simplicidade que fez da cantora um grande nome na década de 2000, mas agora essas mesmas características ganham um significado ainda mais marcante com o adicional do EDM, que já nos surpreende na crescente faixa de abertura “Hurricane”, ou até mesmo o trip pop, que ganha vida na faixa “Still On My Mind”.


Em vezes misteriosa e outras tímida, a britânica traz uma sensibilidade aveludada em adrenalina, mas sem perder o charme e compostura. Assim, ela chega a brilhar nos sintetizadores dançantes de “Mad Love” e em grandes números de diva power pop, como “Friends”, “Take You Home” e “Hell After This”


Os melhores momentos, portanto, ficam por conta das baladas e mid-tempos, que nos levam ao inverno londrino, tomando chá em uma banheira quente cheia de rosas. Estamos falando da intensa “Give You Up”, do folk pop romântico de “Some Kind Of Love” e da atmosfera angelical de “Have To Say”

O álbum como um todo parece uma experiência mágica, com um toque iluminado e poderoso que Dido traz às suas músicas. Com uma linha Lana Del Rey ou Aurora meets Lily Allen, Dido mostra ser uma figura esquisita, porém autêntica do power pop. São canções sobre partir, amar ou celebrar que a britânica encontra a perfeição em forma de música.