Itaipava De Som a Sol

Por que o comeback de Oh Wonder é tão marcante?

Não os víamos desde 2017, quando tínhamos o lançamento do segundo álbum do duo. Com um ano tomado por shows ao redor do mundo, Oh Wonder tirou umas “férias”, mas pouco sabíamos que eles estavam é preparando um retorno forte e contagiante.

O sucesso já começara no álbum debute de 2015, homônimo. Anthony e Josephine desabrocharam uma amizade fora do comum, maior do que até eles mesmos esperavam. Oh Wonder surgia para eles e para o mundo. O segundo álbum, Ultralife, foi o responsável pelo maior sucesso deles, uma vez que fizeram shows esgotados por quase todo o globo.

A dualidade vocal, o sonoro um tanto quanto soft. Eles conhecem muito o que fazem, e fazem perfeitamente bem! O estilo Oh Wonder é único e sempre marcante. Contudo, mesmo que com estilo único deles, sempre há inovações. O mais novo single comprova isso.

Carro-chefe para o terceiro álbum, “Hallelujah” é a apresentação de uma era muito representativa e determinada. Uma canção que canta a liberdade de ser!


Sempre com instrumentais variados e muito bem arranjados, eles trazem elementos orquestrais unidos a experimentações mais eletrônicas. É marcante o início predominantemente no piano fazendo uma melodia mais brincalhona com nossos ouvidos, que logo são surpreendidos por uma marcante bateria e uniões vocais perfeitamente encaixadas (como sempre fazem ao combinar duas vozes que se alinham em tons diferentes). Seguindo o lírico, os instrumentos orquestrais tomam o centro da música nos fazendo arrepiar e realmente poder presenciar o sentimento de liberdade. 

A letra por si só, parece mostrar toda a coragem que pretendem transmitir. Inibir o medo de se sentir dentro de você e abertamente ser determinado a ser quem você é, é isso que canta “Hallelujah”, e possivelmente cantará todo o próximo álbum do duo.

Esperamos agora por mais um grande sucesso repleto de representatividade e muita coragem. Uma nova era para descrever a liberdade de ser e afundar os medos de nós.