Veja quais foram os altos e baixos das apresentações do Oscar 2016


Como muitos sabem, ontem (28/02) rolou a 88ª edição do Oscar, uma das premiações mais consagradas do universo cinematográfico. Mas as estrelas dos filmes não foram as únicas que brilharam na noite passada. O evento contou com performances épicas de Sam Smith, The Weeknd, Dave Grohl e Lady Gaga. Nesse caso, nada mais justo do que comentar cada apresentação individualmente.

Sam Smith – “Writing’s On the Wall”



A primeira performance da noite ficou por conta de uma das vozes mais potentes do cenário atual, Sam Smith. Porém, nem sempre as coisas dão certo, não é mesmo? E mesmo ganhando o prêmio de “Melhor Música Original”, ontem não foi o dia do cantor, dado que o mesmo entregou uma apresentação bem abaixo das expectativas.

Assim como Adele no Grammy desse ano, Sam Smith deslizou feio na apresentação de ontem. Além de aparecer com uma produção minimalista e nada inovadora, o cantor deixou o nervosismo tomar conta e acabou desafinando absurdos. E não foi só durante uma parte ou duas, ele ficou fora de tom praticamente durante a performance inteira, deixando a gente um pouco aflito, principalmente quando chegava nos falsetes. Sem pensar duas vezes, essa foi a pior de ontem, porém os outros artistas compensaram por Sam Smith.

 The Weeknd – “Earned It”



Admito que não estava prevendo uma performance tão bem organizada e inovadora para o The Weeknd. Nem sempre The Weeknd dá conta do palco nas apresentações, porém ontem planejaram algo bem interessante para ninguém desviar o olhar durante o show.

A música – que já estava ficando desgastada de tanto ser cantada – recebeu um toque completamente diferente, deixando a faixa bem turbinada e curiosa, do melhor jeito possível. Estou falando da orquestra de violinos – que deixou a música bem viva do começo ao fim –, das dançarinas fazendo acrobacias, e do cenário impecável. Realmente, tentar coisas novas é sempre bom e dessa vez, The Weeknd acertou em cheio, realizando uma versão de “Earned It” bem melhor do que a original.

Dave Grohl – “Blackbird”



Por essa ninguém esperava! No meio da noite, chegou Dave Grohl com uma performance surpresa – e bota surpresa nisso. Cantando a emocionante “Blackbird” – famosa música dos Beatles –, o cantor prestou homenagem aos profissionais do cinema que faleceram recentemente, na sessão “In Memoriam” do evento.

Não há dúvidas de que Dave Grohl não falha em passar emoção através de sua voz, porém, como se aquele momento acústico não fosse suficiente, os homenageados, como David Bowie e Alan Rickman, passavam no telão, fazendo com que a gente relembrasse de cada rastro de eternidade que tais figuras nos deixaram. E foi com essa performance “simples” e única que o cantor fez muita gente chorar com tanto sentimento colocado naquela hora.

Lady Gaga – “Til It Happens To You”


Ela está em todas ultimamente, e sempre tirando arrepios da gente! Primeiro, a cantora fez um verdadeiro show com sua homenagem ao David Bowie, no Grammy. Agora, Gaga fez uma apresentação, pra lá de incrível, de “Til It Happens To You” – sua música sobre abuso sexual. E mesmo a noite sendo do cinema, foi a música que teve o momento mais grandioso da noite, graças à cantora.

Lady Gaga é uma das únicas do ramo que é realmente uma artista completa, em todos os sentidos. Quando ela sobe no palco, já dá pra imaginar que ela vai deixar o público de boca aberta, e ontem não foi diferente. A performance começou com ela cantando e tocando piano, enquanto um músico tocava violoncelo. E já aí, estava um clima bem denso, por conta de tanta convicção e significado colocados em cada nota, cada arranjo e em cada olhar de Lady Gaga. A cantora – que já foi vítima de estupro – mostra tanta verdade através da música, que chega a parecer de outro mundo. E quando o ritmo da música começou a elevar, violinos encantadores entraram em cena, já comovendo muito quem assistia, dando um ar totalmente fresco à faixa. E por fim, a cantora trouxe várias vítimas de abuso para o palco. Nos mostrando, de certa forma, a dor que cada um deles encara dia a dia.
Ela levou a música para outra dimensão. E como era de se espera, a mídia e vários artistas comentaram sobre esse momento tão importante da noite, mas o tweet que mais me fez aplaudir e assinar em baixo, foi o de Gene Simmons, em que ele admite que Lady Gaga é a única “rockstar” da nossa geração: