Fifth Harmony anuncia saída de Camila Cabello do grupo



Infelizmente, este dia chegou pra elas, pra gente, e pros nossos lencinhos. Fifth Harmony acaba de anunciar a saída de Camila Cabello do grupo. Doeu, né? Mas como devemos encarar este novo rumo das meninas?

Muitos fãs do grupo – como eu – vem acompanhando o trabalho delas desde o dia que Fifth Harmony foi formado, em 2012, no X Factor USA, com Simon Cowell, LA Reid, Demi Lovato e Britney Spears na bancada. Desde lá, as meninas vem dominando o mundo juntas, sempre conquistando cada vez mais prêmios e respeito do público durante a carreira. Todavia, com a saída de Camila Cabello, devemos estar aqui para os dias de sol e para os dias de chuva. Apesar de ser um assunto delicado, deve-se ser entendido que isso não é de hoje. Sendo realista, tomo aqui a liberdade de analisar a situação como um todo, desde o princípio.

 Imagine cinco meninas que não se conheciam agora dividindo um sonho juntas, fazendo sucesso juntas, passando por tudo juntas, sempre juntas. No começo, não tinha como dar mais certo, afinal elas estavam mais felizes do que nunca. Porém, não demorou muito para as meninas se depararem com a realidade do mercado, que propõe muito mais colocar as garotas em rivalidade do que harmonia, desgastando todo o sonho que tinham de viver aquilo juntas. A pressão que o time do grupo colocava pra cima delas começou a tomar proporções assustadoras. Elas começaram a ser tratadas como robôs. Saindo do palco do X Factor e indo para o estúdio, elas nunca tiveram liberdade musical de colocar os dedos delas nas músicas, nunca podendo mostrar quem realmente elas eram. Isso é revoltante. É um absurdo quando um artista não pode ser um artista, e sim somente uma máquina que reproduz o que mandam. Por essa razão, todo o talento que o grupo mostrou no X Factor foi camuflado com batidas e letras superficiais ao longo dos anos. Não digo isso só no âmbito sonoro, mas vocês já analisaram a imagem sexualizada que aderiram ao grupo? Agora isso se naturalizou um pouco mais, porém nunca fez parte delas. Elas só se acostumaram, e pronto. Para quem cuidava da imagem delas, não importava se elas eram diferentes, pois a maior necessidade daquele momento era padronizar o grupo nos moldes de Hollywood. Por exemplo, eu duvido que se a Lauren tivesse liberdade musical, ela iria cantar músicas como as do Fifth Harmony. Eu também duvido que a Camila se sentia completamente confortável com as roupas que ela era obrigada a usar e com os passos de danças do Fifth Harmony. A partir daí, por volta de 2015, pode-se dizer que o grupo teve a essência arrancada às forças. Dando continuidade, tudo só começou a desandar e se intensificar.


Com o tempo, quem mais tentou se desfrutar do que a indústria tinha pra oferecer foi Camila Cabello. Ela começou a fazer amizades com outras pessoas do meio, como Taylor Swift, Ariana Grande, Shawn Mendes, entre outros. Definitivamente foi uma atitude esperta, já que ela soube aproveitar o melhor da situação. Como consequência, a cantora participou da famosa “I Know What You Did Last Summer” com o Shawn Mendes. Os dois viajaram os Estados Unidos, indo de rádio em rádio divulgar a música. Naturalmente, Camila começou a ganhar um maior destaque no Fifth Harmony, e maior reconhecimento, causando um pouco mais de desequilíbrio no grupo. Não acho errado, aliás acho ótimo a Camila participar de projetos à parte, mas analisamos que o grupo estava tão fragilizado que não conseguiu lidar bem com mais um fator que colocava o grupo em desarmonia. Desde então, alguns desentendimentos rolaram no grupo, por mais que não são 100% confirmados. Com conflitos internos, pressão e cobrança externa demasiada, infelizmente, o grupo teve o trem desgovernado. Camila decidiu sair do grupo, deixando Lauren, Dinah, Normani e Ally para continuarem como um quarteto. Porém, no cenário atual, talvez essa seja a melhor opção pro Fifth Harmony.

Desde o começo, eu acredito que o maior erro foi a ansiedade precoce do management das meninas de torna-las o maior girlgroup do mundo. Eles capitalizaram toda a carreira delas, deixando o mais especial do Fifth Harmony de lado: a individualidade de cada uma. Cada uma tem estilo e personalidade bem únicos e não souberam aproveitar isso, esquecendo de tornar o “impossível” em “possível”. Porém, agora, tudo aconteceu para favorecer os dois lados da moeda. Camila já tem uma carreira solo garantida, pelo seu timbre único, seu carisma e sua base de fãs de bom tamanho. As meninas do Fifth Harmony, agora como um quarteto, talvez possam unir suas forças para formar um grupo ainda mais forte. Também sempre houve o interesse do grupo de aderir ao R&B e este é o momento. Não acho que a voz da Camila combine com este estilo, porém Dinah, Ally, Normani e Lauren possuem vozes perfeitas para o gênero. O próximo álbum do Fifth Harmony, mesmo sem Camila Cabello, pode sim ser o melhor da carreira das meninas, se for produzido com sabedoria. Acredito que Camila vai poder finalmente explorar seu dom de compositora e Fifth Harmony vai poder amadurecer e mostrar suas raízes mais potentes. Tudo está a favor das nossas meninas. Vamos esperar pelo melhor!