Deftones: A melhor faixa de cada álbum


Se você ainda não conhece Deftones, esse é o momento perfeito para recuperar o tempo perdido, pois selecionamos especialmente para você a melhor faixa de cada álbum da banda, então não deixe passar e confira algumas das melhores músicas de uma das bandas de rock mais influentes dos últimos tempos.

O Deftones está na ativa desde 1988, lançaram oito álbuns de estúdio, alguns com participações de ícones do rock como Scott Weiland do Stone Temple Pilots, Jerry Cantrell do Alice In Chains, Serj Tankian do System Of A Down e Max Cavalera do Sepultura. Apesar disso, a banda ainda é um tanto desconhecida e não tem o reconhecimento equivalente à qualidade do trabalho que fazem. Se você ainda não está familiarizado com o trabalho da banda, esse post é pra você.

Adrenaline (1995)


O primeiro álbum da banda é definitivamente o que possui o som mais sujo e, com exceção da faixa “Fireal”, é o que menos remete ao Deftones mais melódico e denso que conhecemos hoje. “Lifter” se sobressai no álbum por ter um riff muito característico e por balancear muito bem a calma e o barulho, muito por mérito de Chino Moreno, que alterna com maestria entre os gritos e os vocais melódicos, algo que ajuda a tornar essa a faixa mais memorável desse primeiro trabalho deles.

Around The Fur (1997)


A vontade de experimentar e a enorme quantidade de influências, fez o segundo álbum da banda se tornar um dos mais estranhos da discografia deles. Uma das poucas exceções no meio de tanta estranheza é “Be Quiet and Drive (Far Away)”, que apesar da letra simples, tem um dos melhores riffs da banda e não falha em te conquistar desde a primeira nota da guitarra. Não à toa que a faixa raramente sai do setlist da banda.

White Pony (2000)


Não é sempre que o maior sucesso do artista é uma das melhores faixas do mesmo, mas aqui é o caso. “Change (In the House of Flies)” é um dos maiores acertos deles e sem dúvidas é a melhor do terceiro álbum. Um dos vários motivos é o trabalho de Frank Delgado nos teclados, que junto com os vocais de Chino, vão te atraindo para dentro da atmosfera da faixa e te envolvem no clima obscuro dela, uma fórmula que eles passaram a repetir nos álbuns subsequentes.

Deftones (2003)


Uma das vezes em que eles repetiram a fórmula foi em “Moana”, mas ao contrário de “Change”, a faixa é mais agressiva e pesada, sem deixar de ter um riff extremamente viciante e vocais marcantes. Um dos grandes destaques é também o baixo, que está bem mais presente, algo que juntamente com a sonoridade obscura e as faixas de andamento arrastado, se tornaria uma das maiores características do quarto álbum.

Saturday Night Wrist (2006)


Esse definitivamente é o álbum mais difícil de escolher a melhor faixa, não só pela enorme carga emocional que ele traz, mas por que quase todas mereciam estar aqui, entretanto, já que só cabe uma, inevitavelmente será “Hole in the Earth”, que além de primeiro single, também abre o disco. Essa é uma música impressionante por muitos motivos, mas os principais são: os vocais extremamente emocionantes de Chino e as guitarras, que por incrível que pareça, passam ainda mais emoção.

Diamond Eyes (2010)


Chi Cheng fará falta no Deftones, mas Sergio Vega se mostrou um substituto incrivelmente competente já no seu primeiro álbum com a banda, fazendo um trabalho sensacional, especialmente em “Beauty School”, uma das faixas mais ímpares de toda a discografia deles, justamente por conta do baixo. Esse que ficou marcado como um álbum morno, talvez tenha provado que faixas mornas também podem ser memoráveis.

Koi No Yokan (2012)


O sucessor de Diamond Eyes não poderia ser morno novamente, então a banda inovou e resolveu apostar num som que não espantasse os fãs antigos e ao mesmo tempo agradasse o público novo, resultando na sonoridade magnífica que ouvimos em “Tempest”. A faixa engloba tudo de melhor que o Deftones colecionou durante toda a carreira, os vocais clássicos de Chino, as guitarras distorcidas na medida certa e o baixo sutil, mas presente, além da ambientação dos teclados, sendo isso tudo a fórmula não só do clima único da banda, mas também a fórmula da perfeição.

Gore (2016)


O lançamento de Gore foi marcado por uma novela chata protagonizada por Chino e o guitarrista Stephen, que tiveram conflitos musicais durante as gravações, entretanto, quando o primeiro single “Prayers/Triangles” foi lançado, ficou claro que as tensões tinham terminado, caso contrário seria impossível atingir a harmonia presente nessa faixa. É simplesmente incrível como cada detalhe dessa música é uma obra prima e mostra como o Deftones não perde a essência, mesmo depois de tanto tempo. O videoclipe da faixa é tão maravilhoso quanto, vale a pena ver.

Preparamos uma playlist com todas as melhores faixas da banda, incluindo as que citamos acima, aproveitem!