Conheça 20 artistas femininas para você colocar no seu radar!


Faz um bom tempo que os lineups de grandes festivais, como Lollapalooza, Bonnaroo e Glastonbury, vem dado espaço para as mulheres na cena alternativa, preenchendo com muito empoderamento feminino um buraco que faltava no indie, pop, rock, etc. Essa tendência começou com grandes nomes da música, como Lana Del Rey e Florence Welch, que já abriram portas para outras artistas jovens de peso, como Lorde, Halsey e Haim. Desde então, a lista só está crescendo, assim como a representatividade das mulheres no mercado musical, portanto sempre precisamos buscar conhecer novos talentos.


Fique por dentro do som de mulheres que estão conquistando o seu lugar aos poucos e que são grandes promessas para a cena alternativa:

Zella Day


Um cover de “Seven Nation Army” postado no YouTube foi o divisor de águas para tirar Zella Day de uma cidadezinha pequena de Arizona e levá-la aos grandes holofotes. Desde então, a cantora de 22 anos vem encantando muitos com seu pop psicodélico tão impactante, que nos faz mergulhar nas experiências pessoais dela. Musicalmente, a cantora trouxe um trabalho surpreendente em seu primeiro disco, Kicker, com um som bem original e encantador. Zella Day consegue unir extremos da melancolia de Lana Del Rey e o pop pra cima de Halsey de um jeito surreal, principalmente em seu primeiro sucesso “Sweet Ophelia”. A cantora é uma perfeita mistura das grandes rainhas alternativas, fazendo dela uma criação poderosa para a indústria.



Shura


Foi a delicadeza e a simplicidade de Shura que encantou a Polydor Records a ponto de assinar contrato com a cantora para lançar seu álbum de estreia, Nothing’s Real, em 2016. O álbum inteiro reflete sobre a ansiedade e como a mesma não tem o cuidado e atenção que deveria ter. A cantora fala de um assunto tão pesado com uma leveza de outro mundo, guiado por vocais doces, batidas electropop bem retrô e melodias puxadas para o R&B. O material de Shura é definitivamente algo para se manter no radar!



LÉON


Mais inclinada para o Pop, a jovem sueca já é uma das grandes apostas da Columbia Records. Publicando uma de suas músicas, “Tired of Walking”, no SoundCloud, a cantora ganhou espontaneamente a atenção de nada mais, nada menos que Chris Anokute, responsável por trazer Katy Perry e Joss Stone para o topo das paradas. A voz madura de LÉON viaja por um lado mais clássico do pop, deixando a pegada chiclete um pouco de lado. Ela traz um aspecto refrescante e inovador de soul para a sua música que é muito interessante e não pode ser deixada de lado.



Kiiara


Numa mistura de trap music e electropop, surgiu Kiiara. A cantora tem o dom de criar música espontaneamente com batidas aleatórias que os produtores propõem em suas rápidas sessões no estúdio. É tudo bem simples, minimalista e rápido para ela. É só um toque a mais ali e um freestyle aqui, e pronto. Daí surgiu a mágica fábrica de grandes hits, que obteve resultados ótimos como “Gold” e, mais atualmente, a faixa “Heavy” com Linkin’ Park. Kiiara definitivamente tem algo cativante e promissor em sua persona!



Billie Eilish


Com apenas 15 anos, Billie Eilish tem uma longa estrada pela frente, porém a adolescente californiana já começou dando ótimos primeiros passos em sua carreira. Seja pelo seu hit “Ocean Eyes” ou por “Bored” – que está na trilha sonora de 13 Reasons Why –, Billie vem encantando a todos com seu Dark Pop animado, que traz uma deliciosa semelhança com o som de Lorde e Dua Lipa. Foi só lançar “Ocean Eyes” que a cantora explodiu, e espalhou sua voz mundo afora com as incontáveis versões remix que a música ganhou. Ainda sem um LP, a cantora acaba de lançar o EP dont smile at me e está pronta para embarcar em sua primeira turnê norte-americana. Mal podemos esperar para Billie explodir na Indústria Musical!



CLOVES


Já imaginou como seria poderosa a junção de Adele e Lana Del Rey? A CLOVES é um produto bem próximo disso. Sua voz grave ecoa na nossa alma de um jeito único. É o tipo de cantora que vai te arrepiar como nunca antes. Ela já participou da segunda temporada do The Voice Australia, em 2013, porém infelizmente ela não chegou tão longe, terminando sua jornada no programa durante as batalhas. Sem desistir, a cantora se reergueu em 2015 e, desde então, fazendo parte da Interscope Records, ela só vem crescendo. CLOVES já apareceu na trilha sonora de Me Before You, com “Don’t Forget About Me”, e de Vampire Diaries, com “Everybody’s Son” sendo tocada na sétima temporada. Em 2016, ela apareceu no lineup de grandes festivais, como Lollapalooza e Coachella, e por essas e muitas outras sabemos que ainda vamos ouvir falar muito da cantora.



Flint Eastwood


Fugindo do indie pop doce, Flint Eastwood possui uma atitude de outro mundo e um som que funde elementos do rock e urban de um jeito épico. Natural de Detroit, a cantora vem conseguindo mais espaço aos poucos, espalhando empoderamento por onde passa, assim será na turnê norte americana de PVRIS em que Flint Eastwood está encarregada do show de abertura. A grandiosidade da artista é extremamente contagiante, e isso se resume muito bem na tão poderosa “Queen”, seu single mais famoso até o momento.



Grace Mitchell


Também fugindo do indie pop, a cantora traz uma releitura do grunge rock da década de 90 para a cena alternativa atual. Se você ainda não ouviu seus EPs e Singles, não perca tempo. Não me refiro ao gênero musical propriamente dito, porém Grace possui uma personalidade bem punk, que a aproxima de Taylor Momsen e Lzzy Hale. Dá pra perceber que Grace é uma das artistas emergentes com a proposta mais diferente e isso, sem dúvida alguma, a levará longe. Precisamos de mais artistas que rompem com barreiras, como Grace Mitchell vem fazendo de forma explosiva!



VÉRITÉ


A nova-iorquina VÉRITÉ viaja por águas douradas com seu synthpop alternativo, chamando muito a atenção de todos com sua voz consistente e refrescante. A cantora entrega vocais delicados que raspam em uma harmonia brilhante, isso em todos os seus trabalhos, desde os EPs até o seu recém lançado álbum de estreia. Vale a pena dar uma olhada e se apaixonar!



Sara Hartman


O som folk com indie pop de Sara Hartman atingiu bastante gente com o seu EP Satellite, lançado em 2016. A cantora já abriu shows para a Ellie Goulding e vem ganhando, aos poucos cada vez mais público. Sara apresenta um som mais suave, como o de Sara Bareilles e Christina Perri, porém sua voz grave faz toda a diferença, fazendo com que seja quase impossível não se apaixonar pela simplicidade da cantora que se encontra escassa no mercado atual.



Ella Vos


Com uma personalidade mais delicada do que costumamos ouvir nas rádios, Ella Vos parece uma fada encantada no meio de uma Indústria cheia de exagero. A voz doce da cantora é toda aveludada por uma vibe meio vintage. Você deve tirar um tempo do seu dia para relaxar ao som da cantora!



LOLO


Você provavelmente deve conhecer LOLO a partir do seu trabalho com o Panic! At The Disco na música “Miss Jackson”. Além disso, ela já abriu inúmeros shows para a banda e já deixou muitos de boca aberta ao interpretar Ilse Neumann em Spring Awakening, renomado espetáculo da Broadway. Ela já havia lançado um disco em 2010 com o seu nome original, Lauren Pritchard, porém em 2016 ela lançou seu segundo álbum, com o nome LOLO, chamado In Love Memory Of When I Gave A Shit, que reposiciona a cantora no mercado para um futuro promissor, devido principalmente a sua paixão e alma que ela entrega através de sua voz rouca. Seja em seus momentos mais furiosos e intimistas ou em seus momentos mais alegres, tudo que o disco nos traz é uma vontade louca de levantar, dançar e aplaudir de pé junto ao soul da cantora.



K.Flay


A cantora americana entrega versatilidade de um jeito um tanto quanto intrigante. K.Flay mistura indie pop com vertentes do hip hop e rock alternativo. É uma mistura simplesmente inusitada que faz dela bem única no mercado. De um jeito rebelde e obscuro, K.Flay esbanja atitude em seus três álbuns já lançados na carreira. A cantora traz um toque único, picante e ousado para a sua arte. Suas músicas azedas e ásperas vão te dar aquela sensação “badass” que você tanto precisa!



Von Grey


Quer indie de qualidade? Então, toma! O trio de irmãs traz um som refrescante e cheio de paz com sua vertente ambient/electro. Elas conseguem trazer exatamente aquela sensação visual para a construção instrumental de suas músicas. É o momento perfeito para você fechar os olhos e se imaginar em um lugar montanhoso ou debaixo de uma cachoeira, porque as faixas das meninas tem este poder para te transportar para as maravilhas da natureza. Quando você menos notar, você já estará apaixonado por suas vozes angelicais e seus instrumentais que fluem pela nossa alma.



Astrid S


Consegue imaginar uma fusão de Zara Larsson e Ellie Goulding? Astrid S é o resultado disso! Misturando electropop com um R&B alternativo, a jovem norueguesa vem ganhando seu espaço na Indústria. Ela já colaborou em uma música com o Shawn Mendes, já abriu a tour do Troye Sivan e, mais atualmente, fez a voz de fundo de “Hey Hey Hey”, música da Katy Perry do álbum Witness. Vindo do realityshow norueguês Idol, Astrid S está pronta para dominar o mundo!



Olivia O’Brien


Você com certeza deve conhecer o hit “hate u love u” que a cantora emplacou com gnash no verão americano de 2016! A música foi um sucesso completo e só nos fez acreditar que Olivia O’Brien vai chegar muito longe ainda. A cantora nunca falha para criar um ambiente agridoce em suas músicas, trazendo um R&B alternativo bem dark, do jeito que a gente gosta. Com uma temática jovem, baseada principalmente em relacionamentos, as músicas de Olivia possuem um alto teor identificatório, o que nos faz acreditar ainda mais que ela pode ser a próxima princesinha da cena alternativa.



Transviolet


Mesmo se tratando de uma banda, nada impede de Transviolet estar nessa lista. Sarah McTaggart lidera o grupo com sua voz doce cheia de personalidade, que combina muito bem com o electropop proposto na sonoridade do quarteto. Suas músicas são extremamente chicletes e servem perfeitamente como uma compilação de hinos para a comemoração da juventude. Tenho certeza que ainda vamos ouvir falar muito de Transviolet!



Sigrid


Em 2016, Sigrid assinou com a Island Records e desde então a carreira da cantora decolou e está indo cada vez mais longe. A norueguesa bombou com seu single explosivo de estreia, “Don’t Kill My Vibe”, e com sua sonoridade indie pop – que lembra um pouco a Birdy, HAIM e até uma versão alternativa e mais jovem da Adele –, a expectativa é que a cantora alcance cada vez mais conquistas!



IDER


Se você procura melodias harmoniosas, você precisa ouvir este duo londrino. IDER não falha em misturar sintetizadores obscuros com vocais delicados. Basicamente, elas misturam o folk com synthpop e é uma fusão extremamente brilhante, algo que The XX faz muito bem, só que de certa forma, as meninas conseguem entregar um som ainda mais precioso e genuíno. Cantando sobre a condição humana e relações amorosas, IDER promete cativar muita gente com suas músicas.



Dagny



Na Noruega, ela já é bem conhecida, mas agora é hora de partir para o mundo! Ela já fez uma feat maravilhoso com o Børns, mas suas músicas solo são tao boas quanto. Com uma voz bem potente e um ritmo electropop extremamente enérgico, temos certeza que Dagny tem tudo para expandir seu alcance para o mundo e deixar todos de boca aberta com sua atitude artística ímpar. 




E claro que para encerrar, deixamos vocês aqui com a nossa playlist "Alternative Girlpower" para você curtir as músicas dessas mulheres maravilhosas: