Itaipava De Som a Sol

Maroon 5 entrega “Red Pill Blues”, álbum pouco inspirado e sem muita personalidade


Mais próximo de um compilado de singles, Red Pill Blues, parece um bom conceito, mas se perde na obviedade atirando para todos os lados. 

Sem um álbum coeso desde Hands All Over, o Maroon 5 lançou o Red Pill Blues, sexto álbum de estúdio na última sexta. Enquanto Overexposed e V eram fracos, possuíam algumas pérolas (tais como "Payphone" e "Maps"), nesse daqui não é muito diferente.

Abrindo com "Best 4 You", temos uma boa faixa dançante com uma composição boa. É um sinal de que teremos algo bom à frente. “What Lovers Do” é uma faixa extremamente “new-maroon”, com participação da revelação SZA. As vozes casam bem e é uma ótima transição de álbum, mas um tanto fraca como single.


“Wait” soa como uma filler, numa vibe mais mid-tempo. “Lips On You” é uma das melhores faixas do álbum, composta em parceria com os geniais Charlie Puth e Julia Michaels. Ela, aliás, consegue entregar não só esta faixa excelente, como também a gostosa “Help Me Out”, na qual compartilha os vocais. Nessa, Adam teve ajuda de Justin Tranter na composição. O time Justin & Julia formam um poderoso time, tendo ajudado na produção de maior parte do impecável This Is What Truth Feels Like, da Gwen Stefani. Nessa faixa, Adam brinca com vocais divertidos e talentosos, produzida por ninguém menos que Diplo.


“Bet My Heart” e “Who I Am” soam dispensáveis, enquanto “Whiskey” inova por ser uma balada com featuring de rapper – mas nada surpreendente. “Girls Like You” é produção do Cirkut, responsável pelos melhores trabalhos de Katy Perry, Britney Spears e Kesha. Aqui não é diferente, temos uma boa mistura do pop com algo que soaria folk. “Visions” flerta com o reggae e refresca as fillers “Closure” e “Denim Jacket”. Pra quem tem coragem, tem ainda “Plastic Rose” na edição digital.


A salvação vem no final, nas bônus: a divertida “Don’t Wanna Know”, que aprendemos a gostar mesmo com o péssimo clipe. A incrível “Cold” finaliza o compilado de enlatados. De bônus, um compilado de sucessos ao vivo.

Me soa como se Maroon 5 estivesse meio perdido no meio da agenda cheia de Adam Levine. Os outros membros parecem como decorativos, sem personalidade e muito comum. Aquela banda talentosa de “Makes Me Wonder” parece em hiatos, num pop fácil.

Keeping tracks into keeping tracks: “Lips On You”, “Help Me Out”, Cold”