Dingo Bells traz um power pop lúdico com "Todo Mundo Vai Mudar"

Um dos grandes destaques da cena musical atual, o trio Dingo Bells, formado por Diogo Brochmann (guitarra e voz), Felipe Kautz (baixo e voz) e Rodrigo Fischmann (voz e bateria), está de música nova: o segundo single do próximo álbum do grupo, intitulado Todo Mundo Vai Mudar (Independente/Natura Musical).
Os caras já deram o que falar nos últimos anos, sendo uma das grandes revelações da cena alternativa nacional. Eles participaram do Lollapalooza em 2016 e foram destaque nas principais listas de melhores álbuns de 2015, como Revista Rolling Stone, O Estado de S. Paulo, jornal Zero Hora, entre outros. Não é pra qualquer um! Agora eles estão de volta com mais material de qualidade.
A música homônima, que abre o disco, chega nas plataformas streaming dia 30 de março, e hoje a banda divulga o lyric video da faixa, dirigido por Lucas Tergolina. A peça audiovisual mistura trechos de filmes em super 8 da infância do diretor com fotos das diferentes etapas de construção de uma colagem de Rodrigo Marroni - um dos artistas responsáveis pelo projeto gráfico do novo trabalho. Além disso, a banda anuncia o lançamento do álbum para 11 de abril. Eles estão vindo com tudo, hein?
O sucessor de Maravilhas da Vida Moderna conta com a produção de Marcelo Fruet, tem o patrocínio do Natura Musical e financiamento do Pró-Cultura RS. Todo Mundo Vai Mudar (Independente/Natura Musical) une letras e melodias ancoradas em conceitos existenciais, tormentos sociais, necessidades do cotidiano e busca por superação, tudo isso misturado a uma estrutura marcada pelo contínuo equilíbrio entre versos e arranjos.

"Sinta-se em Casa" foi o primeiro single do disco lançado ano passado que também ganhou videoclipe. "A faixa descreve um universo pessoal. É um diálogo interno, um processo de reflexão, de se adaptar a mudanças. É sobre abraçar o pior de um tempo e crescer com isso! Como afirma o refrão: 'Sinta-se em casa. Se a verdade dói, dançamos em brasa'. A casa é como metáfora para nossa vida interior.”, comenta o baterista Rodrigo Fischmann.

Já "Todo Mundo Vai Mudar", por sua vez, traz características power pop: é potente e marcante. Baixo, bateria, guitarra e violão de aço fazem os jogos rítmicos necessários para ditar a pulsação envolvente que constrói a canção. No refrão, a percussão se encarrega de colocar a batida pra frente, trazendo ares da fase disco de Michael Jackson e David Bowie.
A letra relata as atividades mundanas que acontecem em um dia decisivo na vida do protagonista, quando esse tem uma epifania: “Um dia todo mundo vai mudar/ Jogo as certezas no fogo e deixo queimar”. Acima de tudo, a faixa é extremamente libertadora. A faixa só nos deixa ainda mais ansiosos para o próximo disco. Não se esqueça: 11 de abril. SAVE THE DATE!