Itaipava De Som a Sol

Francinne fala sobre o EP “La Rubia” e sua paixão pela música latina


Uma das grandes apostas do ritmo latino no Brasil, a cantora Francinne, lançou recentemente seu primeiro EP, “La Rubia” (A loira, em espanhol). Aproveitando o momento, batemos um papo bem legal com ela sobre seu mais novo projeto, o show de lançamento e muito mais!

Antes de qualquer coisa, que tal conhecer um pouquinho mais sobre essa cantora que está dando o que falar ao trazer o seu reggaeton pop único para terras brasileiras?!

Como tudo começou?

Bom, o interesse pela música foi despertado em Francinne quando a cantora era bem nova, com apresentações em eventos infantis e aulas de ballet. Conforme Francinne foi crescendo, ela começou a se fascinar cada vez mais pelo trabalho da eterna princesa do pop Britney Spears, o que a motivou a virar o cover oficial da cantora nos palcos. Foi aí que sua paixão pela música floresceu de vez, adquirindo uma verdadeira alma de artista.

A jornada de Francinne até o EP “La Rubia”

Em 2015, o trabalho da cantora começou a ganhar notoriedade, com a sua canção “I’m Alive” integrando a trilha sonora da novela Babilônia, da Rede Globo. Já em 2016, ela lançou seu álbum de estreia, Na Pele, que trouxe “Meninas Querem Diversão”, música que apareceu em Carinha de Anjo, do SBT. Agora, a cantora está mais poderosa do que nunca com o EP La Rubia, que conta com o selo da Universal Music. A partir dele temos uma nova Francinne, mais forte, confiante e sensual do que em qualquer outro momento da sua carreira. Isso fica nítido no clipe ardente de “Corpo Caliente”, que deve levar a cantora para um patamar artístico bem elevado. Com tanta coisa acontecendo na vida da loira, aproveitamos para bater um papo com a cantora sobre tudo isso. Confira a entrevista na íntegra:

KT: Nós vimos que você acabou de lançar seu novo EP, La Rubia, que significa “a loira” em espanhol, certo? Da onde veio esse apelido? Parece que esse lado espanhol te cativou. Você pode contar um pouco sobre ele?

Francinne: Esse meu lado espanhol vem representando um diferencial de destaque. Como eu já precisava de uma verdade, tendo contado com os Hermanos no Rio Grande do Sul, e as músicas gaúchas são bem parecidas com as músicas latinas e foi aí que a gente achou o diferencial para a Francinne. E a personagem La Rubia - a loira - quem criou foi o meu empresário.

KT: Você presenciou o show do Luis Fonsi na última semana, como foi a experiência?
                                                                                                                                                            
Francinne: Sim, Sim. Fui ao show dele e conheci ele e pude praticar meu espanhol com ele. Eu estava muito nervosa, mas foi muito legal!


KT: Então podemos dizer que suas influências musicais vêm principalmente de artistas latinos, certo? Se você pudesse criar uma girlband agora, quais artistas do pop latino você escolheria

Francinne: Sim, pessoas como Shakira, Thalia, Ricky Martin me influenciaram bastante. Uma girlband? Hm, a Karol G, Anitta, podia ter a Iza para fazer um rap com a gente, a Becky G é sensacional também e eu né para formar um quinteto!


KT: O clipe de “Corpo Caliente” é algo bem diferente e muito bem produzido, caliente como a própria música. Como foi fazer o roteiro? De onde veio a inspiração pro estilo do clipe?

Francinne: Eu gosto de por a mão na massa e fazer as coisas. Quando peguei “Corpo Caliente” fiquei imaginando o que poderia fazer e como gosto muito de filmes do Tarantino e Robert Rodriguez, pensei que poderia ter uma vibe assim. Queria fazer algo mais diferente tipo “dona do baile” e tal, então acho que combinou muito bem de forma única e diferente. Eu adorei o resultado!


KT: Falando sobre essa vibe de “dona do baile”, na próxima quarta-feira (09.05), você comanda o show de lançamento do EP com duas mulheres incríveis te acompanhando: Wanessa Camargo e Luiza Sonza. Como está a animação pro show?

Francinne: Ah, eu estou muito ansiosa, nervosa e feliz ao mesmo tempo, porque elas aceitaram cantar comigo e é para mim uma honra. Elas são muito talentosas e maravilhosas. Acho que a mulherada tem que se apoiar mesmo, pois é muito importante. E agora que ficou diferente para mim, estou muito feliz com essa fase!

KT:  Agora você está com a Universal Music também. Vimos as boas diferenças do primeiro EP para o segundo. Como tem sido trabalhar com a gravadora?

Francinne: Então, eu sempre soube que seria descoberta por uma gravadora! E ter sido descoberta pela Universal é uma responsabilidade muito grande, porque é uma gravadora mundialmente conhecida e para mim é uma honra eles apostarem no meu sonho e estarem comigo. Existe o nervosismo de ser uma responsabilidade muito grande, mas também tem o conforto no coração de estar no caminho certo.

KT: Para finalizar, o que você gostaria de falar para os fãs que te acompanham?

Francinne: Eu gostaria de falar para eles não desistirem dos sonhos deles. Sempre irem em frente e batalharem com muito entusiasmo e não deixar a peteca cair. E se você realmente quer fazer aquilo que ama, você faz, você vai conseguir! Eu sempre tive um objetivo desde criança e eu lutarei até conseguir, vou mais longe!