Gavin James aquece o coração do público paulista com show romântico e intimista


Em clima intimista, o músico irlandês Gavin James se apresentou em São Paulo pela primeira vez nesse sábado (05/05). O público paulista foi cativado de forma encantadora pelo talento e simpatia de outro mundo que o cantor trouxe ao palco.

Para quem não sabe, Gavin James começou a fazer sucesso no Brasil quando suas canções “Nervous” e “Watch It All Fade”, respectivamente, integraram a trilha sonora das novelas Pega Pega e Deus Salve o Rei.

Após dividir palco com artistas como Ed Sheeran e Sam Smith, Gavin James agora prepara o lançamento de Only Ticket Home, sucessor do seu debute Bitter Pill – que conta com baladas românticas extremamente emocionantes e envolventes, como “Bitter Pill” e “22”.

Divulgando seus mais recentes singles “Always” e “Hearts On Fire”, que farão parte do segundo álbum, o cantor desembarcou no Brasil nesse começo de maio para fazer shows no Rio de Janeiro e em São Paulo. O cantor trouxe um repertório encantador, que se resumiu entre seu primeiro lançamento e o que está por vir em setembro.

Em São Paulo, Gavin James subiu ao palco do Carioca Club para uma noite amistosa cheia de harmonia. Guiado por uma pegada intimista, o cantor e seu violão certamente conectaram vários corações dos casais e famílias que assistiam ao show naquele sábado.

Quando menos se esperava, as luzes se apagaram e ouvimos o irlandês, com uma voz grossa e engraçada típica de apresentador de TV, exclamando “welcome to the stage, Mr. Gavin James”. As cortinas se abriram e lá estava ele, acompanhado de seu violão, pronto pra cantar a primeira da noite, “Till The Sun Comes Up”, que já deu um toque de magia para o seu set, em clima romântico e deslumbrante.

Logo, o cantor chamou o pessoal para chegar mais perto, convidando-os para uma relação muito mais próxima que prosseguiria durante todo o show, principalmente em canções como “Coming Home”, “Nervous” e “Always”, em que o público realmente fez parte do show, cantando, dançando e sentindo a música junto ao cantor.



Em músicas como “Hard To Do”“Bitter Pill” e “Watch It All Fade”, Gavin James levou a plateia para outra atmosfera, com um tom delicado e sincero, que ganhou vida em sua voz extremamente poderosa. Era possível sentir cada palavra. Era possível sentir cada emoção. Era possível sentir a alma da música. Poucos artistas conseguem transmitir tamanha transparência através de sua interpretação.

Se você pensa que a proximidade foi construída somente pela música, você está muito enganado. A simpatia e o carisma do cantor foram grandes protagonistas da noite, principalmente em momentos em que Gavin James tentava falar algumas palavras em português, como “obrigado” e “tudo bem”, e em outros onde ele agradecia imensamente por estarem presente lá naquele show. Os fãs chegaram até a pedir duas músicas e elas foram atendidas, foi aí que ele cantou “22” e “Two Hearts”.

A setlist também trouxe várias surpresas, como o cover divertido de “What a Wonderful World” – em que o cantor imitou, de forma muito engraçada, a voz de Louis Armstrong – e as diversas músicas novas, como “Boxes”“Cigarette Break” e “Put You Back Together”, que nos deixaram ainda mais ansiosos para o segundo disco do cantor.

Os maiores momentos da noite, porém, foram vários, como o cover surreal sem microfone de “You Don’t Know Me” (Eddy Arnold), o momento em que Gavin chamou sua irmã Emma Wiglesworth para uma performance impressionante de “Moon River” e o momento divertido e dançante proporcionado por “Hearts On Fire”.

Em um set muito bem consistente, que se resumiu entre lágrimas de emoção e vários sorrisos, Gavin James conseguiu mostrar com muita clareza a sua essência simples, porém muito singular. Era nítido o amor que enchia aquele lugar a cada nova música. Sem dúvidas, o músico é um dos artistas que devemos manter em nosso radar, ainda mais com o segundo álbum, Only Ticket Home, que promete chegar em setembro com tudo!