Quem é a mais nova Florence + The Machine?


Já vimos um pouco do novo cenário criado por Florence + The Machine com "Sky Full Of Song", mas parece que aquele era mesmo só o começo da nova era. "Hunger" é o lead single para o novo álbum da banda que está vindo por aí, e já teve direito a videoclipe com muito conceito.

Antes de irmos entender o contexto do videoclipe e da letra da música, vamos esclarecer que o quarto álbum da banda está previsto para 29 de junho, via Republic, e se chama High As Hope - e a pré-venda está disponível aqui. Tudo indica que pode realmente ser um trabalho muito autêntico, visto que desta vez Florence Welch é a co-produtora e também tem uma boa história para esse próximo disco que, segundo ela, fala muito sobre o amor e a solidão também. O projeto começou lá no sul de Londres (cidade natal de Florence) e foi finalizado pela co-produtora Emile Haynie em Los Angeles.

Ao que parece e pelo que podemos ver desses dois últimos lançamentos, há uma Florence mais crua e transparente. É bem perceptível a "preocupação" dela em mostrar mais claramente a Florence de dentro que experiencia cada dia da vida dela e cada vez mais madura. A honestidade passada em "Hunger" é inspiradora. É uma letra sobre amor, sobre o vazio e a falta. Começa falando sobre todo o sentimento de falta que surge na adolescência e como nos massacramos em confusões através disso. Como nossa fome por sentir parece a solidão e precisamos sempre preencher nossos vazios. O romantismo na canção aparece quando a admiração de Florence sobre a nossa atual juventude aparece - por sermos mais inconstantes e famintos por transformar as coisas.
Essa canção é sobre as maneiras pelas quais procuramos amor em coisas que talvez não sejam amor, e como tentativas de se sentir menos sozinhas podem nos isolar ainda mais. Acho que me tornei mais vulnerável nessa música para encorajar a conexão, porque talvez muitos mais de nós se sintam dessa maneira do que somos capazes de admitir. Às vezes, quando você não pode dizer isso, você pode cantar.

O clipe ganhou tantos encantos quanto a letra. As referências tão artisticamente representadas tornam tudo mágico e potente. Dá para ver claramente como a arte expressa da melhor forma nosso sentimento de fome, tudo aquilo que nos falta e que tentamos - num ciclo infinito - preencher nossos vazios e retornamos a ter nada novamente, nunca satisfeitos. Em partes da letra podemos ver uma referência a uma canção dos Beatles (“The Ballad of John and Yoko”) quando ela diz "the're gonna crucify me", algo que fala sobre diferença e mudança. Há a referência tanto no clipe como na letra a "Sky Full Of Song", quando ela diz "you give yourself to strangers" e quando aparece deitada com uma planta na mão. 

O vídeo começa com as mãos vazias de Florence e retrata uma escultura - o vazio - que é a todo tempo "contemplada", preenchida e retorna ao vazio para outros preencherem. Aí é mostrado nosso incansável ciclo. Tudo termina com o pós-refrão super tocante que mostra claramente quando terminamos esse ciclo e nos sentimos completos e bonitos a ponto de esquecer todas as preocupações ao nosso redor (como a imagem da escultura preenchida com flores), mas tudo começará novamente. 

Posso dizer que essa é uma nova fase muito madura da banda. Apesar de todas as mudanças, o instrumental, quase que orquestral, passa todo o sentimento da música. Florence está ainda mais poética e cativante, mas sempre procurando por mais. Ela admite, afinal, que todos nós temos uma fome. E qual a sua?