Itaipava De Som a Sol

Um ano sem Chester Bennington


Há um ano perdemos um dos maiores nomes do rock moderno e também uma das almas mais doces que o mundo da música já viu. Celebre com a gente a vida e a carreira do saudoso Chester Bennington.

Surgindo no início da década de 2000 como vocalista do Linkin Park, Chester logo chamou atenção por sua versatilidade vocal, indo dos gritos mais viscerais até os vocais mais suaves e melódicos. Sua carreira ficou marcada por trabalhos impecáveis como Hybrid Theory de 2000 e Meteora de 2003, que são lembrados até hoje como dois dos melhores álbuns da década passada.


Uma das maiores provas do incrível poder vocal de Chester, foi na faixa “Given Up”, presente no álbum Minutes to Midnight, em que ele executa um grito de dezoito segundos ininterruptos, um feito impressionante e que foi reproduzido ao vivo por ele algumas vezes.


De 2013 a 2015, Chester foi vocalista da banda Stone Temple Pilots, da qual ele era fã declarado. Apesar da aceitação não ter sido unânime, Chester demonstrou uma enorme versatilidade vocal, nos proporcionou ótimas performances dos hits da banda e ainda gravou o EP High Rise com eles.


O sucesso lhe acompanharia durante quase toda a carreira, mas ao mesmo tempo, o vício também. Chester enfrentou por muito tempo o alcoolismo e também teve problemas com outras drogas, o que viria a refletir em algumas de suas letras. Por conta de sua juventude conturbada, a depressão também foi um problema enfrentado por ele desde muito novo.


Mesmo com toda a fama, o sucesso e os problemas citados anteriormente, Chester nunca deixou de lado sua essência e sempre se mostrou uma pessoa muito carinhosa com seus companheiros de banda, sua família e especialmente com seus fãs, o que ficou ainda mais nítido em suas últimas turnês, nas quais ele constantemente interagia com o público, muitas vezes bem de perto.

Em 2017, o Linkin Park se preparava para lançar, no dia 19 de maio, seu sétimo álbum de estúdio, One More Light. A banda vinha empolgada e apostava muito no disco novo, Chester se mostrava animado nos shows e aparentava estar muito bem. Um dia antes do lançamento do álbum, veio a notícia de que Chris Cornell, amigo próximo de Chester, havia cometido suicídio.


One More Light foi lançado e os fãs mais antigos fizeram críticas pesadíssimas e acusaram a banda de ter se vendido. Chester, já emocionalmente vulnerável, se viu incapaz de lidar com tantas críticas em um momento tão ruim e a pressão acabou abalando o vocalista muito mais que o esperado.


Nunca saberemos o que se passou em sua cabeça, mas em 20 de julho de 2017, dia em que Chris Cornell faria aniversário, Chester infelizmente cometeu suicídio da mesma maneira que seu amigo havia feito apenas dois meses antes. O mundo perdia uma das vozes mais poderosas dos últimos tempos e um dos artistas mais queridos da indústria da música.

Chester se foi, mas sua música e suas letras continuam tocando corações por todo o mundo, geração após geração. Seu legado se manterá vivo e ele sempre será lembrado como um dos vocalistas mais habilidosos e inovadores de sua geração.

Esteja em paz, Chester, você faz muita falta.