Ao lado de Normani e Kehlani, Jessie Reyez lança remix para o hino feminista "Body Count"





Nessa sexta-feira (24/8), Jessie Reyez, nova revelação da música R&B se junta a Normani e Kehlani, mais dois ícones do gênero, para o remix da faixa “Bodycount”, que tem a sua primeira versão presente em seu primeiro EP. A nova ainda será parte de seu segundo trabalho intitulado Being Human in Public, que contará com “Apple Juice” e “Sola”, também já lançadas.

A música original utiliza instrumentos de corda e ritmo lento para parecer calma e suave. Enquanto no videoclipe, o conceito é passado de forma brutalmente sincera: a cantora é queimada viva, assim como as mulheres da Idade Média que a sociedade considerava "bruxas". Ele é referência a essa época, em que o sexo feminino não tinha liberdade e precisava obedecer um padrão de comportamento previamente imposto. Caso contrário, sofriam as consequências, mascarada por preceitos religiosos.


No remix, as batidas ficaram um pouco mais pesadas e são notadas mais influências da música eletrônica. Em relação ao seu ritmo, ele se torna um tanto quanto mais animado, principalmente no refrão, pelo mesmo motivo. Porém, as mudanças são sutis e passam despercebidas caso não escutadas atentamente. Além disso, ela carrega toda a sensualidade típica do gênero e o mesmo tom de vocais, o que traz harmonia a faixa.  

Sua letra, por sua vez contrapõem à sua melodia e se apresenta mais agressiva. É na verdade, um grande hino feminista proveniente das vozes dessas três cantoras empoderadas, que, juntas, ganham uma força sem igual para uma das parcerias mais poderosas do ano. 

Trechos como “I’m independent, I’m self-sufficient and I don’t need a wedding ring” conseguem resumir totalmente a ideia do feminismo. As personagens exigem respeito em relação aos homens, alegam que não precisam deles. Querem se ver livres e independentes em meio ao mundo do patriarcado e fazem isso no tom de conselho para aquelas que escutam. É maravilhoso ver três mulheres fortes, todas no começo da carreira, levantando a voz para marcar o empoderamento feminino na indústria do entretenimento.



Os antigos trabalhos da cantora contam com vocais fortes, ritmo suave e sensual, bem carregado em R&B e não muito diferente dos últimos lançamentos. A única música que destoa até agora é “Sola”, que tem grande influência latina. Portanto, podemos esperar algo como uma mistura dos dois gêneros para o novo EP. Sobre o conceito, Jessie Reyez diz ter preparado aspectos da vida humana como ela é, de acordo com a sua entrevista para a Billboard. Versos espontâneos e verdadeiros que refletirão uma essência autêntica devem ser os grandes pilares para consolidar a cantora no mercado.

A artista, nascida no Canadá, com apenas um EP, já foi indicada ao MTV Video Music Awards com o seu single “Gatekeeper”, pelo o seu videoclipe e a mensagem que ele passa, sendo essa uma das características dela. Suas músicas são autenticas e carregam significado. E é com tamanha verdade e originalidade que vemos Jessie construindo seu legado de sucesso!