Rita Ora prova que está em seu melhor momento com "Let You Love Me"

Depois de inúmeros adiamentos, que assombram o álbum desde 2014, Rita Ora finalmente viu a luz no fim do túnel e conseguiu agendar seu segundo trabalho para 23 de Novembro deste ano. Com o recém-lançado single “Let You Love Me” já podemos esperar uma era de muito sucesso.

Precedido pelos bem-sucedidos singles “Your Song”, “Lonely Together” (com Avicii), “Anywhere” e “For You” (sua parceria com Liam Payne para o filme 50 Tons de Liberdade) e o não tão bem-sucedido “Girls”, com Bebe Rexha, Charli XCX e Cardi B, Rita atingiu um nível de sucesso que nunca havia experienciado em sua carreira e precisava de um novo single para esquentar o público para o álbum, já que o último single - a parceria do quarteto feminino - não foi tão bem recebido.

Assim surgiu “Let You Love Me”, quinto single do álbum e oitavo single lançado por Rita desde seu primeiro álbum. Mas sucessos não serão problemas: além dos singles citados, já temos confirmada a parceria “Summer Love” do Rudimental com Rita, que será single em Janeiro.

Mas voltando à “Let You Love Me”, a canção é mais segura como um todo mas não hesita em ousar discretamente. Isso traz algo fresco para a música, soando inédito no catálogo da cantora sem deixar de ser extremamente catchy, dançante e pop.


Foi produzida por EASYFUN e Fred Gibson; o primeiro atingiu o auge de suas produções agora, com Rita, já que até hoje havia apenas produzido para artistas alternativos, sendo Charli XCX a única relevante. Já Fred trabalhou em diversas canções de Charli, mas também em alguns trabalhos de Ellie Goulding, Shawn Mendes, Little Mix, Clean Bandit e até George Ezra. São dois polos quase extremos e talvez o triunfo do single esteja no quão diversa a sonoridade pode resultar com uma parceria como essa.

Liricamente, a canção diverge um pouco dos temas romanticamente positivos de “Your Song” e “Anywhere” (considerando apenas seus singles solo) e entra em territórios de relacionamentos problemáticos de forma leve e discreta, levando o ouvinte a cantar despercebidamente “qual o problema comigo?”. De certa forma, é a primeira vez que a vemos modificar o rumo das letras um pouco nesta era e isso é muito bem-vindo nesta altura da corrida pelo segundo álbum.

Faltam menos de 2 meses para o lançamento do álbum. Rita já conseguiu catapultar as expectativas para o patamar mais alto possível, com tantos anos de espera e tantos singles ao longo do caminho.

Apesar de tanto trabalho lançado, não conhecemos sequer metade do álbum, então sem dúvidas teremos ainda muitas surpresas. Segundo ela, é um álbum “puramente pop”, e talvez seja justamente isso que estejamos precisando nesse duvidoso mercado fonográfico atual. Nos vemos em Novembro, Ritinha, com o tão aguardado Phoenix!

Escrito por: Rodrigo Izetti