Barbra Streisand anuncia retorno com faixa de repúdio a Donald Trump

O grande ícone Barbra Streisand está de volta com “Don’t Lie to Me”, seu tão aguardado comeback single que flerta com o pop como nunca antes e faz protesto ao governo Trump. Rainha faz assim, né mores?

Barbra Streisand é um dos maiores nomes da história da música e disso não há discussão. A cantora é uma das 3 artistas femininas que mais vendeu discos mundialmente, sendo a número 1 nos Estados Unidos. Além disso, possui o famoso e muitas vezes apenas um sonho distante dos artistas, o EGOT - que é quando se completa o arco das 4 premiações mais importantes do entretenimento, Emmy Awards, Grammy Awards, Oscar e Tony Awards. Foi a primeira mulher da história a produzir, dirigir, escrever e protagonizar seu próprio filme, Yentl, de 1983. Tudo isso com muito sucesso, aclamação e perfeição.

Agora, aos 76 anos, Barbra encabeça a lista de artistas que não precisam mais provar nada para ninguém. E assim tem sido: seus últimos trabalhos se resumem em grandes releituras de alguns clássicos, sejam eles de seu próprio catálogo, sejam da Broadway - e a grande maioria foi #1 nos EUA. Seu último álbum de inéditas foi Love Is The Answer, de 2009, que atingiu o #1 da Billboard 200, barrando o Paramore e Mariah Carey naquela semana.

Em 2018, em meio a uma guerra política que assombra não só o nosso país mas também o mundo, ela lança “Don’t Lie to Me”, uma canção bem mais inclinada para o pop, como não a víamos fazer em muitos anos. A letra é uma crítica direta e assumida para Donald Trump, sem medo de tocar em cima dos pontos mais cruciais (“Como você dorme a noite / Enquanto o mundo está em chamas”) e se encaixa perfeitamente no auge do caos no cenário político nacional do #EleNão (“Tudo que construímos / Está se desfazendo”).


A sonoridade é puxada pro obscuro, lembrando discretamente algo do Results, de Liza Minelli - e isso é maravilhoso. Os vocais respeitam os limites da idade dela, mas não deixam de surpreender com a sutileza mesmo em ser incisiva. 

Pelo que pudemos ouvir até agora, Barbra inovou de uma forma que não tínhamos visto desde quando ela embarcou numa jornada jazz no excelente Love Is The Answer; e se Walls, seu novo álbum, for seguir esse direcionamento “pop elegante”, vai ser delicioso acompanhar uma faceta que não é explorada há tempos.

O material completo, Walls, chega às lojas em 02/11 e contará também com um mashup de “Imagine”, de John Lennon, com “What A Wonderful World”, de Louis Armstrong. O time de compositores e produtores conta apenas com três nomes: David Foster, John Shanks e Walter Afanasieff, e Barbra assina produção executiva e composição de três faixas, entre elas “Don’t Lie to Me”. Mal podemos esperar!