"Baby" é a nova misturinha de sucesso de Clean Bandit, Marina e Luis Fonsi


Foram meses de muita expectativa desde que circularam rumores de que uma nova canção de Clean Bandit com Marina seria lançada, e agora que “Baby” finalmente está entre nós, com a adição de Luis Fonsi ao time, podemos dizer com todas as letras que o grupo nunca decepciona e entrega tudo o que prometeu no novo single.

Pode apostar: um nome que você ainda vai ouvir muito na música é Clean Bandit. Muita gente conhece, muitos outros já ouviram sem saber de quem se tratava e ainda há quem não saiba nada sobre; então vamos desmistificar, antes de mais nada. Ativo desde 2011, o grupo britânico formado por Grace, Jack e Luke trabalhava principalmente no meio da música eletrônica, mas foi em 2014 que alcançou sucesso mundial com “Rather Be”, parceria com Jess Glynne. Deu tão certo que, desde então, os três criaram sua marca ao incorporar gêneros como a música clássica, o dancehall e a EDM ao pop, e sempre convidando grandes artistas para emprestarem seus vocais. Clean Bandit já tem no currículo um Grammy, quatro #1 no UK e mais de treze milhões de singles vendidos.

Agora, a nova aposta do trio atende por “Baby” e carrega outros dois nomes de peso nos vocais. O primeiro é Marina (ex “and the Diamonds”), que vem conquistando uma cadeia de fãs fiéis desde 2010, com os álbuns “Family Jewels” e “Electra Heart”, até que em 2015 lançou o “Froot”, que muitos entenderam como o último de sua carreira. Felizmente, esse não foi o caso, e “Baby” se faz também um hit de Marina, inaugurando sua nova era tão ansiosamente aguardada. Antes disso, a parceria com Clean Bandit já havia acontecido na maravilhosa e muito bem escrita “Disconnect”, e as duas músicas mostram como a combinação de suas forças tem frutos de excelente qualidade.



O segundo nome é de Luis Fonsi, dono do smash hit “Despacito” e um dos artistas mais promissores da década, por colocar o reggaeton nas graças do povo em níveis globais. A composição de “Baby” embarca justamente nessa onda, e é bem divertido ouvir um lado mais electropop da música latina, principalmente porque ninguém imaginou que um grupo britânico, uma cantora galesa e um cantor porto-riquenho seriam colocados juntos em estúdio. Fonsi canta sua parte em espanhol e se mostra muito confortável no meio dos outros; arrisco dizer que não seria a mesma coisa sem ele, ainda que eu não seja tão fã de seus trabalhos.

“Baby” é uma música sobre aceitar que um grande amor se foi, por maior e mais bonito que tenha sido, mas que a vida deve continuar e outras pessoas preencherão aquele lugar que ora ficou vazio. E o clipe é exatamente um complemento da faixa, ao colocar os artistas nos papeis de mulher que viveu um grande amor no passado, mas que deixou escapar e agora se vê no meio do altar para se casar com outro. Muito bacana a representatividade da personagem como bissexual, muitas vezes tão apagada no audiovisual, e o roteiro trata disso de maneira simples e muito bonita, vale a pena conferir!

O ponto mais incrível é que Marina canta como se estivesse nos contando uma história encantada, com um ar suave e quase que misterioso – e que delícia ouvi-la cantando os “oOoOoO”, que já são sua marca registrada. O resultado final é bem satisfatório e vejo com muita facilidade a música alcançando bons números comerciais.

O álbum “Where is The Love?” já está quase entre nós, com lançamento marcado para o dia 30 de novembro de 2018, e reunirá tudo o que já ouvimos do grupo e outras surpresas com artistas de peso. Se o nível se mantiver o mesmo, já sabemos que será um dos melhores do ano. Vejo vocês lá!