The Neighbourhood consegue fugir do arroz com feijão na primeira noite em SP

Após fazerem tanto sucesso no Lollapalooza 2018, o The Neighbourhood está de volta ao Brasil. Ontem (13/06), no Tom Brasil, em São Paulo, aconteceu o primeiro show da sequência de apresentações em solo brasileiro. A banda agradou o público com show agitado, sem deixar de ser intimista

Quando os portões se abriram, ouviam-se gritos e passos desesperados de quem queria ficar o mais perto possível dos integrantes do The Neighbourhood. Se o quinteto californiano já fez barulho em sua primeira vinda ao Brasil, para o Lollapalooza 2018, esperava-se que a turnê seguisse os mesmos passos, na real, esperava-se algo próximo do ensurdecedor. E foi. Em partes.

A banda fará três shows no Brasil e começou por São Paulo, na noite da última quinta-feira (13), no Tom Brasil. A casa demorou para encher, mas foi reconfortante ver o público ainda escasso receber com aplausos e gritos a banda de abertura Health.

Pontual, The Neighbourhood começou com "How", seguida de "R.I.P. 2 My Youth" - um dos auges - e "Dust". Em "Afraid", o pré-refrão foi cantado com gosto pelo público, que ergueu os dedos do meio.

Como em todo show, teve aquela famosa queda na energia quando a trilha desacelerou. O curioso é como isso ocorreu drasticamente na apresentação da quinta-feira. Do refrão ensurdecedor ao momento em que poucas pessoas se mexiam nas pistas.

Diferentemente do Lollapalooza, não teve Jesse sem camisa e, com intervalos curtos entre as músicas, também não houve tempo para conversar com o público. Contudo, o que salvou esse tipo de interação do arroz com feijão proporcionado por algumas bandas é a capacidade de Jesse de se conectar com os fãs sem precisar trocar muitas palavras. Talvez seja essa uma das razões que os fizeram se apaixonar pelo país. Bom, se consola, o público foi entretido com o vocalista fazendo malabarismos em um microfone pendurado ao teto.

The Neighbourhood é uma banda da Califórnia, aquele estado ensolarado dos Estados Unidos. Mas apesar de algumas melodias agitadas, é na melancolia e estética de "sad boys" - que eles realmente estão se esforçando para quebrar - que muitos se veem fisgados e compreendidos.

No geral, a presença energética do vocalista fez a banda parecer apática. Ainda bem então que o frontman consegue dar um vigor às apresentações, mesmo quando monossilábico.

Apesar das poucas palavras, sim, teve o tradicional momento com a bandeira brasileira. Bem no clímax, ao cantar 'Sweater Weather', Jesse se envolveu com ela. Finalizando o hit de 2013 com um tímido 'obrigado', partiu então para o encerramento com 'Stuck With Me'.

The Neighbourhood se apresenta mais uma vez em São Paulo, no Tom Brasil, nesta sexta-feira (14) e em seguida parte para o Rio de Janeiro, onde fará show no dia 16 no VivoRio.

Escrito por: Victoria Matsumoto
Foto: Yuri Milicevic