Taylor Swift constrói nova reputação com muita atitude em seu single de retorno.


UM COMEBACK DESSES! Depois de ficar um bom tempo longe da mídia, Taylor Swift veste deboche e pura ironia para voltar com tudo e falar umas poucas e boas em seu novo single, “Look What You Made Me Do”.

Já faz aproximadamente três anos que Taylor Swift não lança um single solo. Anunciando uma pausa por tempo indeterminado, a cantora levou todos os fãs à loucura. No entanto, mesmo longe dos holofotes, sua ausência não poderia marcar uma presença tão grande, como aconteceu devido a algumas controvérsias que mantinham o nome da jovem sob domínio dos tabloides a todo momento. Me refiro aos diversos casos de desentendimentos que alguns famosos tiveram com a cantora nos últimos anos, como seu ex-namorado Calvin Harris, Katy Perry, Kim Kardashian e Kanye West. A questão é que em seu comeback single, “Look What You Made Me Do”, a cantora teve uma sacada genial, desconstruindo toda sua reputação de “coitadinha” e transformando todo o ódio que ela recebe em pura gozação.

Neste novo momento experimental de Taylor Swift, a cantora faz uma mistura um tanto quanto peculiar, porém muito cabível, de um som característico de grandes figuras do pop, como Britney Spears e Fergie, com uma pegada de Techno alternativo e synthpop alternativo, gêneros muito bem representados por The Ting Tings e Charli XCX. Os sintetizadores e a produção de Jack Antonoff, de alguma forma, não deixam a desejar em nenhum momento, prendendo a atenção de quem ouve desde o começo até o final. “Look What You Made Me Do” é um baita espetáculo liderado pela nova personalidade “Femme Fatale” de Taylor Swift.


Enquanto no passado os acontecimentos sombrios deixavam Taylor exposta à vulnerabilidade, agora, em “Look What You Made Me Do”, o seu lado dark abre portas para a produção de um clima mais ousado e divertido. Na nova música, a cantora incorpora a mesma persona atrevida e irreverente do clipe de “Blank Space”, mostrando que não está aqui pra engolir o veneno de ninguém. Sem medo algum, Taylor aponta o dedo e fala tudo o que tem pra falar. Este ar fresco cheio de classe só confirma que a “Old Taylor” está mortíssima, assim como a música aponta. Do mesmo jeito que a introdução lúdica no piano tem uma rápida transição para batidas curtas e rápidas, a própria Taylor apresenta uma mudança drástica em sua personagem, que agora está mais feroz e desbocada, fazendo da negatividade que a rodeia um grande hino de deboche. 

Com base neste carro chefe, já dá pra perceber que a nova era promete romper com a imagem inocente de princesinha do pop que a Taylor tinha antes, substituindo agora por uma figura determinada, ardente e desenfreada. O novo álbum recebe o nome de Reputation e está previsto para ser lançado em 10 de Novembro. Mal podemos esperar!