Itaipava De Som a Sol

A nova era de Kylie Minogue reforça sua figura icônica com o single "Dancing"


No último mês, Kylie (a verdadeira e original) liberou sua nova faixa de trabalho, “Dancing”. Com influências country, reflexo de sua estadia em Nashville, a cantora inovou mais uma vez sem perder sua essência. Agora, vamos investigar a letra e nos perguntar: o que esperar de seu novo álbum, Golden?

Kylie explorou o country em 1997 no single “Cowboy Style”, antes mesmo de Madonna trazer seu incrível Music e Lady Gaga com seu Joanne. Portanto, é um grave erro dizer que ela foi influenciada por qualquer artista, pois sua versatilidade já vem sendo trabalhada desde seu auto-intitulado álbum de 1994. Kylie nunca teve medo de ousar, e apesar de ser firmar como uma rainha do dance music, ela se destaca com sua vontade de inovar ao longo da carreira.

“Dancing”, então, soa como um passo ousado e corajoso. Repetir a sonoridade utilizada desde o X, de 2008, se tornaria cansativo. Não adianta moldar-se ao atual perdendo identidade, como aconteceu no pouco inspirado “Kiss Me Once”. Com tantos anos de carreira, é admirável que ela se reinvente tantas vezes.

O novo single traz, no entanto, uma agridoce metáfora. “When I go out, I wanna go out dancing”, pode ser livremente traduzida como “Quando eu sair, quero sair dançando” ou como “Quando eu me for, quero ir dançando”. Frente às críticas quanto a sua idade e o constante ageism, ela diz que pode até morrer, mas vai morrer dançando, fazendo o que ama. Uma mulher que passou por fortes batalhas, inclusive câncer, se mostra madura ao ponto de não ligar pras críticas sobre isso e que está confiante de que tudo que fez na vida foi suficiente.


“I don’t ever wanna stop / I’m gonna give it all I’ve got”
“Eu não quero parar nunca / Eu vou dar tudo de mim”
“Can’t stand still / Won’t slow down”
“Não consigo ficar quieta / Não vou desacelerar”

Não é por causa da idade que ela vai parar. Ela vai continuar dando tudo dela até quando não puder mais, porque ela não se aquieta e não vai desacelerar por motivo nenhum!

“Everybody’s got a story / Let it be a blaze of glory”
“And when the final curtain falls / We could say we did it all / The never ending of a perfect day”
“Todos tem uma história / Deixe ser uma chama de glória”
“E quando a última cortina se fechar / Poderemos dizer que fizemos de tudo / Um dia perfeito sem fim”


Quando tudo acabar e ela morrer, ela poderá dizer que fez tudo, numa chama de glória. “Dancing” é, aliás, um clamor de felicidade, de satisfação com a vida e tudo que foi conquistado até agora. É uma lição, também, de que devemos dançar até o fim. Porque a vida é essa, e o momento é esse. O mundo é seu, Kylie. Sua contribuição pro mundo da música e pro mundo LGBT jamais será esquecida, assim como você. Estamos ansiosos para mais um hinário no dia 6 de Abril, a tão aguardada data de lançamento do novo disco, Golden.

Escrito por: Rodrigo Izetti