Bemti e Johnny Hooker se libertam de suas angústias no clipe conceitual de "Tango"

Com o disco de estreia chegando aí, Bemti se une a Johnny Hooker para o maravilhoso clipe de “Tango”, o mais recente single de seu debute. A bela produção traz um tom artístico e conceitual à música.

A dramaticidade de um romance acabado ganha vida de um jeito intenso e obscuro no clipe dirigido por Bemti e Thais Taverna. Tanto Bemti quanto Hooker parecem se envolver por completo no projeto, que é interpretado com muita verdade. Quando a música foi gravada, ambos passavam pela fase chata e delicada pós-separação, e é desse sentimento de angústia e dor que o clipe se aproveita para se expressar de forma poética.


Acompanhado de um atmosfera sombria, quase que todo em tom monocromático, o clipe une diversas pessoas para se desprenderem dos traumas e mágoas passadas. É um clipe que expõe a tortura e a busca pela libertação lado a lado. As cordas servem de analogia a isso de um maneira muito simbólica e bem colocada.

“O clipe é sobre pessoas se unindo para superarem amarras e traumas do passado. Para cada pessoa que aparece amarrada no clipe, os motivos dessas amarras são implícitos. O meu motivo é o único que fica explícito (numa cena bem forte) e a gente tenta ter uma catarse, todo mundo junto, para nos libertarmos e podermos seguir em frente" - Bemti.
Além disso, a gravação contou com uma equipe de 20 pessoas, composta em maioria por mulheres e homens gays, trazendo a representatividade à tona de um jeito espetacular. Além de dividir a direção com Thais Taverna, Bemti também assina o roteiro e foi o co-montador do clipe. Não é fraco, né? Já a produção é assinada pela brilhante Julia Hannud, enquanto João Pimenta e Danielle Melo compõem as peças e os figurinos. E entre o elenco, temos Fernanda Kostchak, do Vanguart (que também gravou o violino), o ator Cirillo Luna (Deus Salve o Rei) e as incríveis dançarinas Aline Akemi, Laura Audi e Paula Paz.

“Tango” integra era dois, o seu tão aguardado álbum de estreia. Acompanhado de melodias eletrônicas somadas à viola caipira própria do cantor, o mineiro canta sobre reconstrução e amor homoafetivo de uma maneira sublime. O disco já chega às plataformas digitais no próximo 3 de agosto. Estamos ansiosos!