Itaipava De Som a Sol

Laurel, a grande revelação do pop indie britânico



Para os amantes da música indie, aqui vai mais uma indicação. Desta vez, não é nada vindo dos grandes influenciadores mundiais, ou seja, os Estados Unidos. Mas sim uma revelação britânica, vinda de uma cidadezinha chamada Southampton, localizada perto de Londres. Laurel, apenas com seus 24 anos de idade vem fazendo muito barulho no continente ao lado.

A loira mais do que independente conseguiu contrato com uma gravadora e até a comercialização de um novo álbum a partir do seu único sonho de se tornar uma profissional da música. Isso tudo após o simples lançamento de algumas faixas na internet. No Brasil ainda não é muito conhecida. Porém, vale a pesquisa.

Com os seus vocais fortes, marcados, assim como a sua personalidade ela abusa do indie pop, da guitarra e bateria para as suas criações. Mesmo que com um som muito particular, é ideal para aqueles que curtem Florence and The Machine, Lana Del Rey ou Lorde.

Quem é Laurel?

É uma cantora britânica de 24 anos que começou com influências folk e hoje é o novo talento no ramo do indie pop. O seu nome verdadeiro é Laurel Arnell-Cullen. Porém, ela gosta de ser conhecida apenas por Laurel.

Como tudo começou?

Independência é uma boa palavra para definir Laurel. Desde os seus 11 anos de idade ela já se interessava pela música e, inclusive, já havia produzido algumas. Sempre com o sonho de se tornar uma cantora. Com isso, começou tocando as suas músicas independentes e covers em pubs ingleses e foi atrás do seu objetivo. Na faculdade, estudou tudo sobre esse ramo e em 2013, começou a lançar os seus trabalhos na plataforma SoundCloud, o que passou a chamar a atenção do público. A partir daí não parou mais de divulgar pela internet as faixas que ela mesmo compunha e produzia, até assinar com a Counter Records em 2016 e lançar os seus últimos trabalhos.

Inspirações

Laurel cresceu ouvindo Britney Spears, assim como a maioria das garotas nascidas nos anos 90. Porém, o seu estilo foi mudando enquanto crescia e hoje a cantora já alegou se inspirar em bandas como Talking Heads e Tame Impala para a antiga revista e agora portal de entretenimento Nylon. Às vezes se inspira em até mesmo artistas como Laura Marling, Lorde, Lana Del Rey ou Marina and the Diamonds, tudo dependendo da composição que deseja finalizar.

Rainha das trilhas sonoras

Mesmo com as suas primeiras músicas independentes Laurel já conseguiu fazer parte da trilha sonora de algumas famosas séries de TV americanas. Com “Blue Blood” sua voz participou do episódio 18 da primeira temporada de Reign e do episódio 19 da segunda temporada de Beauty and the Beast. Já com “Fire Breather”, participou do episódio 16 da quinta temporada de The Vampire Diaries.  



Você vai se apaixonar pelo charme vintage da cantora!

Laurel vive o vintage e alternativo, desde o seu estilo de roupas até a sua forma de se expressar pela música. Em entrevista a Noisey, a mesma já alegou adorar comprar roupas em vintage shops. Ela tem um estilo próprio, o que pode ser observado em sua conta do Instagram (@classiclaurel) ou até mesmo na capa de seus trabalhos. O seu debute também foi lançado em formato vinil. As cores fortes, o aspecto floral e influência dos anos 80 cercam a sua vida em todos os sentidos.

Vida pessoal

Laurel é uma cantora muito fechada. É difícil encontrar informações sobre a sua vida pessoal, pois a mesma não a divulga. Não conseguimos saber se as letras são sobre a sua vida ou dedicadas a alguém. Os únicos fatos que temos conhecimento são os já citados e a sua pequena turnê pela Europa que ocorre atualmente. Se apresentando em, principalmente, cidades do Reino Unido e Alemanha.

DOGVIOLET

DOGVIOLET é o nome de seu primeiro álbum que estreou no dia 24/8 deste ano. Ele carrega grande influencia indie, folk e pop. Sua melodia na maior parte do tempo é tranquila, mas com batidas fortes. Sua letra é bem poética e traz contradições sobre o amor e os sentimentos em nossas vidas. Toda a composição é intensa e tem guitarra marcada. Seus vocais também são fortes e marcantes. Um dos singles “Adored” serve para ilustrar a ideia. A cantora trata as relações pessoais com grande intensidade e emoção.